quinta-feira, 30 de junho de 2011

O BATISMO NO ESPÍRITO SANTO



APRENDENDO COM JESUS COMO RECEBER O BATISMO NO ESPÍRITO SANTO

Atos 1:1-8

1 – Fiz o primeiro tratado, ó Teófilo, acerca de tudo o que Jesus começou,  não só a fazer,  mas a ensinar.
1       – Até ao dia em que foi recebido em cima, depois de ter dado mandamentos, pelo Espírito Santo, aos apóstolos que escolhera.
2       – Aos quais também, depois de ter padecido, se apresentou vivo, com muitas e infalíveis provas, sendo visto por eles por espaço de quarenta dias, e falando do que respeita ao reino dos céus.
3       – E, estando com eles, determinou-lhes que não se ausentassem de Jerusalém, mas que esperassem a promessa do Pai, que (disse Ele)  de mim ouvistes.
4       – Porque, na verdade,  João batizou com água,  mas vós sereis batizados com o Espírito Santo, não muito depois destes dias.
5       – Aqueles pois que se haviam reunido, perguntaram-lhe dizendo:   Senhor,  restaurarás tu neste tempo o reino a Israel ?
6       – E disse-lhes:   Não vos pertence saber os tempos ou as estações que o Pai estabeleceu pelo seu próprio poder.
7       – Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós;  e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra.


Introdução:

A gloriosa benção do Batismo com Espírito Santo, não é o batismo em águas (At 1:5)(Mt 3:11), não é o novo nascimento (Jo 3:3-8);   também não significa Salvação.   Mas, é benção para os nascidos de novo, porque é benção da Salvação em Cristo (Rm 8:32).
Jesus deixa bem claro que são experiencias distintas.  Prometeu o Batismo com Espírito Santo aos seus discípulos (já nascidos de novo e convertidos a Deus) (At 1:4,5,8)
Nesta mensagem de hoje, vamos aprender com Jesus, sobre esta benção tão indispensável para a Igreja.


1.     Jesus nos ensina que o Batismo com Espírito é a Promessa do Pai
“E, estando com eles, determinou-lhes que não se ausentassem de Jerusalém, mas, que esperassem a Promessa do Pai, que (disse Ele) de mim ouvistes.” (At 1:4)

1.1           A expressão  “Promessa do Pai”, revela a procedencia desta benção
O apóstolo Pedro, em seu renomado sermão no dia do Pentecóste, disse em Atos 2:33   “De sorte que, exaltado pela dextra de Deus, e tendo recebido do Pai  a promessa do Espírito Santo, derramou isto que agora vedes e ouvís.
Nosso Pai Celestial é a fonte de todas as bençãos (Ef 1:3) (Tg 1:17), dele vem tudo o que necessitamos para termos uma vida feliz, futífera  e cheia do Espírito Santo.
1.2           A expressão “Promessa do Pai”,  nos fala de verdade e fidelidade
            (Hb 10:23) “Retenhamos firmes a confissão da nossa esperança;   porque fiel é o que prometeu.”
(Nm 23:19)  “Deus não é homem para que minta;  nem filho do homem para que se arrependa.    Porventura diria ele, e não o faria ?  ou falaria, e não o confirmaria ?”
(Hb 6:18)  “...é impossível que Deus minta...”
Querido(a)  irmão(ã), que ainda não foi batizado com Espírito Santo; como é maravilhoso saber que nenhuma Palavra de Deus cai por terra (Sl 119:89).    E, que firmados nela, podemos receber esta rica promessa – de sermos batizados com Espírito Santo (At 1:4; 2:1-4)


2.     Jesus nos ensina que o Batismo com Espírito Santo é Revestimento de poder
(Lc 24:49) “ E eis que sobre vós envio a Promessa de meu Pai;  ficai, porém, na cidade de Jerusalém,  até que do alto sejais revestidos de poder.”

2.1          Na Salvação fomos vestidos
A experiencia vivida no Édem, por nossos primeiros pais, Adão e Eva,  ilustra muito bem esta verdade.  Pois, estando eles nus;  Deus revela sua misericórdia e os veste.   (Gn 3:21)  “E fez o Senhor Deus a Adão e a sua mulher túnicas de peles, e os vestiu.”
(Is 61:10)  “Regozijar-me-ei muito no Senhor, a minha alma se alegra no meu Deus;  porque me vestiu de vestidos de salvação...”
O melhor vestido concedido pelo pai amoroso ao filho arrependido, nos diz, que na Salvação somos vestidos. (Lc 15:22)  “Mas o pai disse aos seus servos:  Trazei depressa o melhor vestido, e vesti-lho...”.  É digno de nota lembrar, que segundo a tradição judaica daqueles tempos, o melhor vestido da família, não era de nenhum dos filhos, nem da mãe,   mas, do pai.   Que lindo, na Salvação, o Pai Celestial nos veste com seu próprio vestido – Sua eterna Salvação.

2.2          No Batismo com Espírito Santo somos revestidos (Lc 24:29)
Certa vez, quando ministrava a Palavra de Deus, o querido amigo e emérito pregador, pastor Geziel Nunes Gomes, disse que no Calvário encontramos Salvação, e no Cenáculo, o glorioso revestimento de poder.   E, ao ilustrar estas duas experiencias maravilhosas, acrescentou: “A título de ilustração digo, que um dia passei pelo Calvário, e Deus me deu uma camisa e me vestiu.   Mas, em seguida me disse:  Agora vá para o cenáculo do Pentecóste, que vou te dar um paletó.”
Sim, o Batismo com Espírito Santo é revestimento de poder.  E, estando revestidos, temos mais força espiritual, para vencermos a carne, o mundo e o diabo (Lc 10:19)(2 Tm 1:7)

3.    Jesus nos ensina que o Batismo com Espírito Santo é a Virtude do Espírito Santo
(At 1:8)  “Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra.”

3.1           A palavra virtude neste texto(At 1:8), é a palavra grega  “dunamys”, que significa poder, capacitação.     
O Batismo com Espírito Santo, é na vida do crente, fonte de poder e capacitação para testemunhar Jesus com eficácia.   Muitos testificam a Cristo, sem terem esta bendita experiencia (o que jamais invalida o testemunho- Haja visto, temos muitos queridos irmãos sinceros e piedosos, que ainda não foram batizados com Espírito Santo, e que são verdadeiras testemunhas de Cristo);  mas, sem dúvida, que com este revestimento de poder, o testemunho se torna mais operoso e impactante (At 8:5-8) (At 10:44)


3.2           Do termo “dunamys” temos tres palavras em nossa Língua Portuguesa:  Dinamo, dinamico e dinamite

a)    Dinamo -  Quando recebemos o Batismo com Espírito Santo, Deus nos torna um verdadeiro dinamo (gerador de força e energia)(Jo 7:38) para abençoar muitas vidas.    Deus não nos unge, para que retenhamos as bençãos para nós, mas para que repartamos do Espírito que está em nós.
b)     Dinamico -  Quando recebemos o Batismo com Espírito Santo, um grande despertamento espiritual ocorre em nossa vida.  O ócio e a letargia, dão lugar ao fervor e ao desejo servir com alegria (Sl 100:2) e testemunhar de Jesus (Rm 1:16)(2 Co 2:1-5).
c)     Dinamite -  Quando recebemos o Batismo com Espírito Santo, nos tornamos uma poderosa arma nas mãos de Deus, para a destruição de muitas fortalezas malignas (Lc 10:19).
Que nos use o Senhor, como verdadeiras dinamites espirituais.

4.      Jesus nos ensina como receber o Batismo com Espírito Santo

4.1  Por vezes já temos lido e ouvido, sobre fórmulas humanas das mais diversas para se receber avivamento e unção.     Mas, a Palavra de Deus nos declara, que só Deus possui a fórmula da unção (Ex 30:22-25) e do derramamento do Espírito (Is 44:3)(At 2:17,18)

4.1           Jesus tem a receita para ser batizado com Espírito Santo:
Primeiro:  Tenha sede do Batismo com Espírito Santo (Jo 7:37) “Quem tem sede” – Deseje esta benção!
Segundo:   Se aproxime do Senhor  (Jo 7:37)  Venha a mim” – Tenha comunhão com Ele
Terceiro:   Tome posse (Jo 7:37)  “E beba” -  Isto é, experimente o poder extraordinário do Espírito Santo.

Conclusão:

O saudoso pastor Estevam Angelo de Souza, deixou-nos a seguinte reflexão sobre a preciosa finalidade do Batismo com Espírito Santo:
“Jesus indicou o principal propósito do Batismo com Espírito Santo que os discípulos haviam de receber, quando disse que receberiam poder ao descer sobre eles o Espírito Santo.
Este poder pentecostal habilita os crentes a testemunharem efetivamente de Cristo (At 1:8), inclusive nas circunstancias mais difíceis e perigosas.”    Pois, vale lembrar que a palavra “testemunhas” no original grego do texto sagrado é a palavra “mártires”.   Todos os cristãos martirizados pelo Evangelho, traziam uma alma apaixonada por Jesus e um coração cheio da virtude do Espírito Santo (1 Pe 4:12-14).

Querido(o) irmão(ã), se ainda não recebeste esta benção;  busque ao Senhor com Fé.   Derrame teu ser diante de sua Presença.  Tenha sede do Espírito Santo, desejando beber de seu maravilhoso rio (Ap 22:17).

Pastor Marcos Antonio

sábado, 25 de junho de 2011

OS CINCO SEGREDOS DA MULTIPLICAÇÃO

APRENDENDO COM JESUS OS SEGREDOS DA MULTIPLICAÇÃO

João 6:1-13

1   Depois disso,  partiu Jesus para o outro lado do mar da Galiléia, que é o de Tiberíades.
2  E  grande multidão o seguia, porque via os sinais que operava sobre os enfermos.
1        E  Jesus subiu ao monte e assentou-se ali com os seus discípulos.
2        E  a Páscoa, a festa dos judeus, estava próxima.
3        Então, Jesus, levantando os olhos e vendo que uma grande multidão vinha ter com ele,  disse a Filipe:   Onde compraremos pão,  para estes comerem ?
4        Mas dizia isso para o experimentar;  porque ele bem sabia o que havia de fazer.
5        Filipe respondeu-lhe:   Duzentos dinheiros de pão não lhes bastarão,  para que cada um deles tome um pouco.
6        E, um dos seus discípulos,  André, irmão de Simão Pedro,  disse-lhe:
7        Está aqui um rapaz que tem cinco pães de cevada e dois peixinhos,  mas que é isso para tantos?
8        E disse Jesus:   Mandai assentar os homens.    E havia muita relva naquele lugar.   Assentaram-se, pois, os homens em número de quase cinco mil.
9        E Jesus tomou os pães e, havendo dado graças, repartiu-os pelos discípulos,  pelos que estavam assentados;  e igualmente também os peixes;   quanto eles queriam.
10    E,  quando estavam saciados, disse aos seus discípulos:   Recolhei os pedaços que sobejaram, para que nada se perca.
11   Recolheram-nos, pois, e encheram doze cestos de pedaços dos cinco pães de cevada, que sobejaram aos que haviam comido.



Palavra Introdutória:

A Mensagem de hoje tem por objetivo, não apenas alimentar a nossa  fé no Senhor que supre todas as nossas necessidades, mas,  mostrar algumas verdades que Jesus nos ensina a respeito da provisão que vem dele, como prova de seu cuidado para conosco. (Sl 23:1) (1 Pe 5:7) (Hb 13:5)
Deste portentoso milagre da multiplicação dos cinco pães e dois peixes, vamos aprender com Jesus, sobre alguns segredos da multiplicação;  que em sendo observados, trarão sobre nós, ricas bençãos sem par.


1.     O SEGREDO DE SEMEAR EM TEMPOS DIFÍCEIS

1.1            Uma multidão muito grande seguia Jesus;  e o texto explica o porque:  (Jo 6:2)  E grande multidão o seguia, porque via os sinais que operava sobre os enfermos.
Eram pessoas oriundas de todas as partes de Israel.   O Evangelista Marcos, destaca que no seu ministério terreno, que de todas as partes vinham ter com Ele  (Mc 1:45).
Bendita receita que Jesus nos ensina: Milagres e prodigios para traze-los ao Evangelho.  Busquemos de Deus seus sinais e maravilhas (Hb 2:4).   Na história da Igreja através dos tempos,  os milagres atraiam as multidões e estas eram salvas pela pregação do Evangelho, que é poder de Deus para s Salvação (Rm 1:16).
É lamentável hoje, vermos no cenário evangélico a triste realidade, de termos uma grande multidão que enche muitos templos, que foram atraídas por mensagens pragmáticas e  pelo entretenimento, e não por sinais e maravilhas que devem seguir a Igreja (Mc 16:15-20).

1.2             O Evangelista Mateus nos informa que o lugar era deserto e a hora avançada  (Mt 14:15) 
Aquela gente estava em um lugar sem recursos (deserto), e a escuridão da noite campeava.  Momento dificilimo para socorrer toda aquela gente cansada e faminta. Pois no deserto não existem mercados, feiras ou panifícios.
Em meio aquela momentanea crise, alguém se apresenta para semear: Um menino com cinco pães e dois peixes (Jo 6:9)
Semear em tempos prosperidade, quando tudo corre às mil maravilhas é fácil.   O difícil e o extraordinário, é semearmos no Reino de Deus, quando nos faltam recursos.  Quando é tempo de carestia e escassez.  Quando todas as portas se fecham.   Creio que a semeadura mais significativa para Deus é aquela nos tempos de crise (2 Co 8:1-5)

1.3            A viúva de Sarepta  nos ensina preciosas verdades – 1 Rs 17:8-16

- Primeiro:   Por maior que seja a crise sempre temos algo a ofertar.  Aquela mulher chegou nos limites da extrema pobreza,  mas ela tinha água (1 Rs 17:10) e um pouco de farinha e azeite (1 Rs 17:11)

- Segundo:    Esta mulher foi ricamente abençoada, porque  priorizou a Deus ao obedecer a Palavra na boca do profeta Elias.  Há quem diga, que Elias tenha sido atrevido em suas palavras, ao ordenar que ela fizesse primeiro um bolo para ele. Mas, era Deus falando através dele  (1 Rs 17:11-13)  (Mt 6:33) (Cl 1:18)

Terceiro:   Aquela viúva nos ensina que a nossa oferta pode ser de vida ou oferta de morte.   Notemos que primeiramente ela confessa ao profeta, que iria fazer aquele último bolo e esperaria a morte.     De fato, se ela tivesse retido aquela oferta, isto é comido a semente;  sem dúvida morrreria com seu filhinho (1 Rs 17:12).   Quantos crentes, que estão comendo a semente; e em decorrencia, nada teem para colher,  vindo sobre eles pobreza e morte.
Mas, aquela viúva não reteve e não comeu a semente;  mas semeou com fé no Reino.   Sua oferta foi de vida e não de morte,  pois a partir de sua atitude de fé em Deus,  a farinha da panela não se acabou, nem o azeite da botija faltou (1 Rs 17:14-16) (Lc 6:38)


2.     O SEGREDO DA FÉ INCONDICIONAL NO SENHOR

2.1   Vendo a multidão faminta, o Senhor Jesus faz uma pergunta extremamente interessante a  Felipe:  “Onde compraremos pão, para estes comerem ?  (Jo 6:5)   Quando nós fazemos uma pergunta, é porque estamos querendo aprender.     Mas, com o Senhor é completamente diferente;  todas as vezes que o Senhor faz uma pergunta é para nos ensinar uma grande lição:     Quando pergunta para Adão – Onde estás ? (Gn 3:8) (Pergunta para ensinar-lhe sobre sua posição de culpabilidade e pecado que se encontrava).     Quando pergunta para Elias – Que fazes aqui Elias ? (1 Rs 19:13)(Pergunta para ensinar-lhe que fora da clausura da caverna, havia muito trabalho a fazer para Deus  1 Rs 19:13-16).
Quando pergunta em Lucas 18:8   “Quando vier o Filho do Homem, porventura achará fé na terra ?”- Jesus ao perguntar, profetizou que os dias que antecederão sua Vinda, serão dias de uma grande crise de fé em toda Terra.
A pergunta feita a Felipe, traz em seu bojo, um desafio ‘a fé de Felipe e dos demais discípulos.   Em outras palavras, Jesus estava confrontando a fé de Felipe, para este crer no Deus que ali estava, pronto para prover a multidão.
Se desejamos ver em nossa vida, o milagre da provisão e da multiplicação, precisamos crer inteiramente no Senhor (Hb 11:6)

2.2    O SEGREDO DA ENTREGA

Primeiro:  Consideremos a entrega do que somos.   Notai que o evangelista João, ao descrever o milagre, fala primeiro que um rapaz se apresenta:  “Está aqui um rapaz”,   para depois falar do que ele tem: cinco pães de cevada e dois peixinhos.   Como o Senhor multiplicará o que temos, se não nos damos primeiramente a Ele?   Quantos oram para que suas finanças sejam ricamente abençoadas,  seu trabalho e sua empresa prosperem,  seu pão de cada dia seja multiplicado;   no entanto, nunca se entregaram de corpo e alma ao Senhor.    Lindo é o exemplo dos crentes da Macedonia descrito por Paulo:  “Também,  irmãos, vos fazemos conhecer a graça de Deus dada ‘as igrejas da Macedonia.   Como em muita prova de tribulação, houve abundancia de seu gozo,  e como a sua profunda pobreza, abundou em riquezas da sua generosidade.     Porque, segundo o seu poder  (o que eu mesmo testifico),  e ainda acima do seu poder,  deram voluntariamente.
Pedindo-nos com muitos rogos a graça e a comunicação deste serviço,  que se fazia para com os santos.
E não somente isto fizeram como nós esperávamos,  mas a si mesmos se deram primeiramente ao Senhor,  e depois a nós, pela Vontade de Deus.  (2 Co 8:1-5)

Segundo:  Consideremos a entrega do que temos
Depois de nos entregarmos ao Senhor,  poderemos sem sombra de dúvida,  ver  a multiplicação do que temos.
Qual a oferta que Deus recebe, senão, aquela oferta que traduz a entrega primeira de todo ser a Deus.    Como Abel e sua oferta .   O ofertante se fundiu ‘a sua oferta,   seu coração, sua vida e sua adoração ali estavam na oferta. Para este tipo de oferta, Deus sempre atentará.    “E Abel também trouxe dos primogenitos das suas ovelhas, e da sua gordura.   E atentou o Senhor para Abel e sua oferta.” (Gn 4:4)


3.     O SEGREDO DA LIBERALIDADE

3.1  Vemos naquele rapazinho, a vitória da generosidade sobre a avareza.
Queridos irmãos,  diante da multidão faminta, aquele jovem que trazia o seu pequeno lanche;   poderia ter-se omitido, poderia ter ocultado sua provisão, poderia ter se retirado sutilmente a um lugar ‘a parte, e sem ninguém notar para comer  sua saborosa merenda.    No entanto, ele assim não procede;  pois não era avarento, nem tinha um coração egoísta.   Aquele jovem, diante do quadro de profunda necessidade, se apresenta com o que tem. Que lindo!  Ele deve ter pensado: “Como posso eu comer, se esta gente está com fome?    Vou entregar ao Senhor o que tenho...

3.2    Algumas Bençãos preciosas da Liberalidade:

a)    Vida abençoada – Sl 112:1-9
b)    Provisão abundante – Pv 3:9-10
c)     Janelas dos Céus abertas – Ml 3:10
d)   Multiplicação do que temos – 1 Rs 17:8-16

 
4.     O SEGREDO DA GRATIDÃO

4.1   É digno de nota, que o milagre da multiplicação é precedido por  uma atitude de gratidão.   “E Jesus tomou os pães e,  havendo dado graças...”  (Jo 6:11).
Crentes ingratos passam pela vida, sem verem o poder multiplicador da benção de Deus.   Mas, o agradecido, vivencia a cada partir do pão, o milagre da multiplicação. (1 Ts 5:18)(Cl 3:17)

4.2    É interessante como Deus trabalha na vida de quem é a Ele agradecido.   Quando agradecemos as bençãos recebidas (Sl 103:1,2), estamos preparando o caminho para mais bençãos.                      Deus ve o coração agradecido, como o solo mais fértil para seus gloriosos investimentos.
Deus trabalha assim:   A gente agradece e recebe.  Recebe e agradece;  e porque agradece, continua recebendo.  Bendito ciclo.     Queridos irmãos, não interrompamos este divino processo em nossas vidas,  mas sejamos a Ele agradecidos sempre.  
No milagre que Jesus operou purificando dez leprosos de uma só vez.  Jesus não desejava apenas curá-los fisicamente, mas também salvar suas preciosas almas.   Nove receberam apenas a cura para seus corpos; mas, um que tinha o coração cheio de gratidão, voltou para render-lhe graças.  Este foi duplamente abençoado:  Foi curado da lepra completamente e foi salvo pelo poder de Deus (Lc 17:11-19).   Voltemos sempre ao Senhor para agradecer-lhe.   Não tenha dúvidas, que ao voltarmos a Ele, mais bençãos receberemos.


5.     O SEGREDO DA PARTILHA

5.1   “E Jesus tomou os pães e, havendo dado graças, repartiu pelos discípulos,  e os discípulos pelos que estavam assentados;   e igualmente também os peixes,  quanto eles queriam.”(Jo 6:11)
O Milagre da  multiplicação não se deu em um só nomento em que Jesus partiu os pães e os peixes.  Porque se assim fosse;  imediatamente se teria uma verdadeira montanha de pães e peixes multiplicados.   Mas,  o milagre da multiplicação se deu cada vez que ocorria a partilha.
Primeiro:    Multiplicou na mão de Jesus ao repartir e dar aos discípulos.
Segundo:   Multiplicou na mão dos discípulos ao repartirem com os chefes de cada família.
Terceiro:  O milagre da multiplicação não parava, enquanto iam repartindo:  De pai para mãe,  de mãe para filhos,  de irmão para irmão,  de vizinho para vizinho, de amigo para amigo.

5.2    Não existirá o milagre da multiplicação em nossas finanças, em nosso pão, em nossa casa,  até que sejamos liberais no repartir o que temos.   Neste glorioso milagre, Jesus está nos alertando, que se não houver partilha,  jamais haverá multiplicação.
Ec  11:1,2     “Lança o teu pão sobre as águas,  porque depois de muitos dias o acharás.     Reparte com sete, e ainda até com oito,   porque não sabes que mal haverá sobre a terra.”
Lc  6:38      “Dai, e ser-vos-á dado;  boa medida,  recalcada,  sacudida e transbordando vos deitarão no vosso regaço; porque com a medida com que medirdes também vos medirão de novo.”
2 Co 9:6-10     “E digo isto:  Que o que semeia pouco,  pouco também ceifará,   e o que semeia em abundancia,  em abundancia também ceifará.    Cada um contribua segundo propos no seu coração;  não com tristeza,  ou por necessidade;  porque Deus ama ao que dá com alegria.     E Deus é poderoso para fazer abundar em vós toda a graça, afim de que tendo sempre, em tudo, toda a suficiencia, abundeis em toda a boa obra.   Conforme está escrito:   Espalhou ,  deu aos pobres;   a sua justiça permanece para sempre.      Ora,  Aquele que dá semente ao que semeia, e pão para comer,  também multiplicará a vossa sementeira, e aumentará os frutos da vossa justiça.”

Pastor Marcos Antonio