sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

JESUS EM BREVE VIRÁ !


Mateus 24.27, 42-44
27- Porque assim como relâmpago, sai do oriente e se mostra até ao ocidente, assim será também a vinda do Filho do homem.
42 – Vigiai, pois, porque não sabeis a que hora há de vir o vosso Senhor.
43 – Mas considerai isto:  Se o pai de família soubesse a que vigilia da noite havia de vir o ladrão,  vigiaria e não deixaria minar a sua casa.
44 – Por isso,  estai vós apercebidos também;  porque o Filho do homem há de vir à hora em que não penseis.


INTRODUÇÃO:

Tudo nos mostra que Cristo já volta, breve Ele voltará !   E, diante desta maravilhosa promessa, devemos:  
  • Amar a Vinda de Jesus -  Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo Juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a sua Vinda. (2 Tm 4.8) 
  • Ser paciente até a Vinda do Senhor -  Sede pois, irmãos pacientes até a Vinda do Senhor. (Tg 5.7) 
§         Estar pronto para a Vinda de Jesus -  Estejam cingidos os vossos lombos, e acesas as vossas candeias. (Lc 12.35)
  • Ter na vida o selo do Espírito SantoE não entristeçais o Espírito Santo de Deus, no qual estais selados para o dia da redenção.(Ef 4.30)   
  • Guardar o que temos recebido do SenhorEis que venho sem demora;  guarda o que tens,  para que ninguém tome a tua coroa (Ap 3:11)  
  • Ter o olhar voltado para o CéuOra, quando estas coisas começarem a acontecer, olhai para cima e levantai vossas cabeças, porque a vossa redenção está próxima. (Lc 21.28) 
  • Viver em santidade de vidaSegui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor. (Hb 12.14)
  • Estar em constante vigilânciaVigiai pois, porque não sabeis nem o dia nem a hora em que o Filho do Homem há de vir. (Mt 25.13)

Vivamos em constante vigilância, porque o Senhor vaticinou em sua Palavra, que virá como um relâmpago (Mt 24.27) e como um ladrão (Mt  24.42-44).
Nestas duas ilustrações usadas por Jesus para profetizar, o Espírito de Deus irá nos ensinar hoje,  sobre a mensagem mais confortadora da Bíblia para a Igreja:  A Vinda gloriosa do Senhor.
Como Jesus virá:
  • Jesus virá brevemente (Hb 10.37)(Ap 3.11)
  • Jesus virá pessoalmente (1 Ts 4.16)
  • Jesus virá secretamente (1 Ts 5.1,2)
  • Jesus virá repentinamente (Mt 25.13)
  • Jesus virá rapidamente (1 Co 15.52)

1.      Jesus nos ensina  que sua Vinda será como a vinda de um relâmpago
Porque assim como relâmpago, sai do oriente e se mostra até ao ocidente, assim será também a vinda do Filho do homem (Mt 24.27).

Jesus nos revela neste texto bíblico, a grandeza e abrangência de sua Vinda.  Ao compará-la com um relâmpago que corta os céus, de uma extremidade até outra;  nos revela que ao descer até às nuvens, chamará sua Igreja de todas as partes da Terra.  Nos lugares mais distantes, nos confins dos mares, nas florestas, nos vales, nas montanhas, nos desertos, nos sertões, nos grandes centros, mas, também nos mais esquecidos lugares de nosso planeta;  onde houver um remido e lavado pelo Sangue de Cristo, este ouvirá o convite do Rei dos reis e Senhor dos senhores:  Vinde benditos de meu Pai, possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo (Mt 25.34)
A Igreja do Arrebatamento é composta pelos mais variados povos, verdade tão bem aclamada no Céu, diante do trono do Cordeiro: E, cantavam um novo cântico dizendo: Digno és de tomar o livro, e de abrir os seus selos; porque foste morto,  e com o teu Sangue compraste para Deus homens de toda tribo, e língua, e povo, e nação (Ap 5.8)   

1.1              O relâmpago aparece no céu, normalmente quando existem nuvens escuras

§         Nuvens escuras representam o contexto espiritual que se encontra este mundo (1 Jo 5.19)
§         Nuvens escuras falam da multiplicação da iniquidade em todos os níveis (Mt 24.12)
§         Nuvens escuras falam de tempos de apostasia nos últimos dias (1 Tm 4.1,2)
§         Nuvens escuras falam a respeito dos dias trabalhosos e difíceis que antecederão a Volta do Senhor (2 Tm 3.1-5)
§         Nuvens escuras falam dos sinais da Vinda de Jesus (Mt 24.3-14)


1.2              O relâmpago quando surge,  para muitos é motivo de espanto:
Tudo porque, o relâmpago é um clarão muito intenso e rápido produzido pelo raio, precedendo ou acompanhando o trovão.
Enquanto, para a Igreja do Deus Vivo a Vinda do Senhor é sinônimo de Vitória, alegria indizível e plena glória (Ap 22.20),  para o mundo ímpio e para os crentes que ficarem, significará espanto, tristeza e dor.   
Quando Jesus veio a este mundo como homem, sua Vinda trouxe alegria aos magos e aos pastores de Belém.  Mas, o rei profano Herodes e toda Jerusalém com ele, ficaram perturbados:   E o rei Herodes, ouvindo isto, perturbou-se, e toda Jerusalém com ele (Mt 2.3).   Ao voltar a segunda vez,  não será diferente,  os santos se alegrarão,  mas, haverá muita inquietação e perturbação na Terra,  principalmente para aqueles afastados dos caminhos do Senhor, que por conhecerem a verdade;  chorarão amargamente, porque a Igreja subiu, e eles ficaram.

1.3              O relâmpago nos dá a lição da surpresa
Os melhores meteorologistas com a atual tecnologia dos satélites, podem prever com precisão todas as mudanças climáticas;   no entanto,  não podem prever a hora em que relâmpagos surgirão no céu.
A Vinda de Jesus se revestirá de grande surpresa, pois, Ele virá na hora em que muitos estarão desapercebidos (Mt 25.13)(Mc 13.33-37)

1.4              O relâmpago nos fala de rapidez
§         ...num momento, num abrir e fechar de olhos...(1 Co 15.52)   
Assim será a Vinda do Senhor.    A palavra grega aqui, nos fala de um átomo de tempo.
§         Será um evento de rapidez indescritível.   Não haverá tempo para se preparar, se santificar, orar, buscar a Deus ou confessar pecados.   Temos que estar preparados hoje para encontrá-lo nos ares (1 Ts 4:16,17).   
§         Apocalipse 19:7,   não diz que a Igreja está se aprontando para as Bodas do Cordeiro;  mas,  está pronta para esta grandiosa festa:  Regozijemo-nos e alegremo-nos, e demos-lhe glória;  porque vindas são as bodas do Cordeiro, e já a sua esposa se aprontou.

1.5              O relâmpago é o resultado de extraordinária descarga de energia
§         Dizem os estudiosos que os relâmpagos são produzidos durante tempestades com nuvens eletricamente carregadas, quando o campo elétrico se torna tão forte e intenso a ponto de forçar uma descarga elétrica entre a nuvem e o solo.

§         Testemunhos proféticos sobre o poder ressurreição por ocasião da Vinda de Cristo:
O testemunho profético sobre a ressurreição do patriarca Jó: 
Porque eu sei que meu Redentor vive, e que por fim se levantará sobre a terra.  E, depois de consumida a minha pele, ainda em minha carne verei a Deus.   Vê-lo-ei por mim mesmo, e os meus olhos, e não outros, o verão,  e por isso os meus rins se consomem dentro de mim (Jó 19.25-27)
O testemunho profético de Daví:
Quanto a mim, contemplarei a tua face na justiça;  satisfar-me-ei da tua semelhança quando acordar. (Sl 17:15)  
O testemunho profético de Paulo:
Num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados.  Porque convém que isto que é corruptível se revista da incorruptibilidade, e que isto que é mortal se revista da imortalidade.   E, quando isto que é corruptível se revestir da incorruptibilidade, e isto que é mortal se revestir da imortalidade,  então cumprir-se-á a palavra que está escrita:  Tragada foi a morte na vitória (1 Co 15.52-54)
(Fp 3.10,11,20,21) (1 Ts 4.13-18)(2 Co 5.1-8)
O testemunho profético de João:
Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifestado o que havemos de ser.  Mas, sabemos que, quando Ele se manifestar, seremos semelhantes a Ele;   porque assim como é o veremos. (1 Jo 3.2)

1.6              O relâmpago é um fenômeno natural de grande beleza
§         O relâmpago é um dos fenômenos mais bonitos da natureza e também um dos mais mortais. Com as temperaturas dos raios sendo maiores do que a da superfície do Sol e com as ondas de choque se propagando em todas as direções, o relâmpago é uma aula de física.   A Vinda de nosso Rei e Senhor, será plena de glória e esplendor (1 Ts 4:16).  Será maravilhoso vê-lo face a face (1 Jo 3:2) .  Será lindo contemplá-lo no fulgor de sua eterna glória , como João o viu:
E vi o Céu aberto, e eis um cavalo branco; e o que estava assentado sobre ele chama-se Fiel e Verdadeiro; e julga e peleja com justiça.   E os seus olhos eram como chama de fogo; e sobre a sua cabeça havia muitos diademas; e tinha um nome escrito, que ninguém sabia senão Ele mesmo.  E, estava vestido de uma veste salpicada de sangue;   e o nome pelo qual se chama é a Palavra de Deus.
E, no vestido e na sua coxa, tem escrito este nome:  Rei dos reis e Senhor dos senhores (Ap 19:11-13, 16)

O Cristo que veremos face a face:
§         É o mais formoso entre milhares (Ct 5.10)
§         É o Rei coroado de glória e de honra (Hb 2.9)
§         É Aquele que seu rosto brilha mais do que o sol (Mt 17.2)(Ap 1.16)
§         É o resplendor da Glória de Deus (Hb 1.3)
§         É o Sol da Justiça (Ml 4.2)
§         É a resplandecente Estrela da Manhã (Ap 22.16)

§         O relâmpago mostra-se no céu com uma beleza que se reveste de mistérios. Ele é ainda  se apresenta à ciência como  um de seus maiores mistérios: como ele funciona? Todos sabem que o relâmpago é gerado em sistemas de tempestades eletricamente carregados, mas a maneira como se dá essa carga ainda permanece obscura.    Que maravilhoso, Jesus ter tomado o relâmpago para ilustrar sua Vinda.    Que sendo extraordinariamente gloriosa, se reveste do inexplicável para a nossa mente tão finita.   Paulo quando trata desta doutrina, fala da Vinda do Senhor com relação a nós, como um mistério:  “Eis aqui vos digo um mistério...” (1 Co 15:52)
§         O lindo hino composto pelo poeta Josias Menezes, ainda hoje, enche o nosso coração de alegria, pela esperança que temos de vermos nosso Cristo, face a face:
Sempre que eu leio a história de Cristo
Eu fico a pensar com grande emoção
No privilégio que muitos tiveram
De ver o Seu rosto, sentir Sua mão.
Eu também queria a mesma alegria
De vê-Lo bem perto, bem junto a mim
E olhar os Seus olhos, serenos e meigos
E como eu seria tão feliz assim.
Queria saber como era o Seu rosto
Embora eu sinta que era mui lindo
Inspirava fé e também confiança
E dava a todos um gozo infindo.
E ao ver as gravuras, os quadros pintados
Daquilo que dizem ser o meu Senhor
Meu ser não aceita o que está na tela
É falsa a inspiração do Pintor.
Não creio, não creio, num Cristo vencido
Cheio de amargura, semblante de dor
Eu creio num Cristo de rosto alegre
Pois creio num Cristo que é vencedor.
E um dia também O verei face a face
E assim eu creio, pela minha fé
Ó aleluia! Verei o Seu rosto
Verei a Jesus, como Ele é
Ó aleluia! Verei o Seu rosto
Verei a Jesus, como Ele é.

2.                  Jesus nos ensina que sua Vinda será como a vinda de um ladrão
Vigiai, pois, porque não sabeis a que hora há de vir o vosso Senhor.     Mas, considerai isto:   se o pai de família soubesse a que vigília da noite havia de vir o ladrão, vigiaria e não deixaria minar a sua casa.     Por isso, estai vós apercebidos também;  porque o Filho do Homem há de vir à hora em que não penseis (Mt 24.42-44).

2.1              O ladrão vem quando ninguém espera
§         Um ladrão nunca avisa.   Jamais ouvi,  e acredito que você também;  a respeito de um ladrão que tenha avisado a respeito de seu assalto.  
§         Ladrão age na ambiência do inesperado.
Mas, acerca dos tempos e das estações, não necessitais de que vos escreva.   Porque vós mesmos sabeis muito bem que o dia do Senhor virá como ladrão de noite (1 Ts 5.1,2).
Eis que venho como ladrão.   Bem aventurado aquele que vigia, e guarda os seus vestidos,  para que não ande nu, e não se vejam as suas vergonhas (Ap 16.15)
  • A Igreja do Arrebatamento espera Jesus voltar a qualquer momento:
1º.) Porque tem uma viva esperança (1 Pe 1.3)
2º.) Porque se gloria na esperança (Rm 5.2)
3º.) Porque tem uma esperança verdadeira (Rm 5.5)
4º.) Porque se alegra na esperança (Rm 12.12)

  • Três tipos de pessoas que existem no mundo com relação à esperança:
1º.) As que vivem no mundo sem Deus e sem esperança (Ef 2.12)
2º.) As que possuem uma falsa esperança (Jó 27.8) (Pv 11.23)
3º.) As que possuem uma verdadeira esperança (Rm 8.24,25)

  • Quatro aspectos de nossa esperança:
1º.) Esperamos Jesus (Fp 3.21)
Não esperamos outro, mas, o Cristo amado de nossas almas. O Jesus que morreu e ressuscitou por nós (Rm 4.25). Ele mesmo é o que esperamos (1 Ts 4.16)
2º.) Esperamos ir com Jesus (Jo 14.1-3)
Ele virá nos buscar.  Muito em breve, os céus se abrirão: Para que desça o Noivo e suba a Noiva.
3º.) Esperamos ficar com Jesus (1 Ts 4.17)
Que maravilhosa esperança! Ficar com Jesus para sempre é sem dúvida, a maior
Benção que desfrutaremos por toda a eternidade (Ap 21.3)
Seja a nossa esperança a mesma de Asafe, quando disse: Guiar-me-ás com o teu conselho e depois me receberás em glória.(Sl 73.24)
4º.) Esperamos ser como Jesus (1 Jo 3.2)
Ser como Jesus, com relação ao seu corpo glorioso (Fp 3.20,21)


2.2              O ladrão age com rapidez
§         Ao empreender um assalto, procura ser ágil e rápido.   Imaginem um ladrão, cujas a ações são lentas, letárgicas;    sem dúvida não logrará êxito em seu intento.  
§          Há muitos anos atrás, li em um jornal, a respeito de um ladrão extremamente negligente, que ao tentar entrar em uma casa pelo telhado; sofreu uma queda, e caiu encima da cama do dono.  Foi dominado e preso.
            Mas,  este é um caso isolado;   ladrões procuram sempre agir com muita rapidez.  
§         Nosso Senhor Jesus, ao utilizar-se deste exemplo, nos exorta sobre a rapidez de sua gloriosa Vinda. Será tão rápida, que a Palavra nos assevera que será num abrir e fechar de olhos. (1 Co 15.52) 

2.3              O ladrão procura não ser observado
  • Quando lemos em Apocalipse 1.7, que:  Todo olho o verá;    devemos considerar que Jesus virá em duas fases:   Na primeira fase:  Antes da Grande Tribulação, para arrebatar a Igreja(Ap 3.10) (1 Ts 4.17,18) e na segunda fase:  No final da Grande Tribulação. Esta fase é conhecida como Revelação, quando descerá com sua Igreja para livrar Israel. (Zc 14.1-5). 
            Na primeira fase (Arrebatamento), somente os santos o verão (1 Jo 3.2). 
            Na segunda fase  (Revelação), todo olho o verá (Ap 1.7)
Distinção entre a primeira fase (O Arrebatamento) e a segunda fase (A Revelação):
Devemos observar várias contraposições entre o arrebatamento e a
Revelação de Jesus Cristo. Estas duas fases mostrarão que os dois acontecimentos não são vistos como sinônimos nas Escrituras:
1) O Arrebatamento compreende a retirada dos crentes, enquanto a
Revelação requer o aparecimento e a manifestação do Filho.
2) No Arrebatamento os santos são levados nos ares, enquanto na Revelação
Cristo volta à terra com a Igreja.
3) No Arrebatamento Cristo vem buscar Sua noiva, enquanto na
Revelação, Ele retorna com a noiva.
4) O Arrebatamento resulta na retirada da igreja e na instauração da
Tribulação, enquanto a segunda vinda resulta no estabelecimento do reino
milenar.
5) No Arrebatamento, Jesus vem em secreto, como ladrão. é iminente, enquanto na Revelação, todo olho o verá.
6) O Arrebatamento traz uma mensagem de conforto, enquanto a
Revelação é acompanhada por uma mensagem de julgamento.
7) O Arrebatamento está relacionada ao plano para a igreja, enquanto
a Revelação está relacionada ao plano para Israel e para o mundo.
8) O Arrebatamento é um mistério predito no Novo Testamento, enquanto a Revelação é prevista em ambos os Testamentos.
9) No Arrebatamento os crentes são julgados (No Tribunal de Cristo), enquanto na  Revelação os gentios e Israel são julgados.
10) No Arrebatamento as alianças de Israel não são cumpridas,
enquanto na Revelação todas as alianças são cumpridas.
11) O Arrebatamento é para os crentes em Jesus, enquanto a segunda
vinda tem efeito sobre todos os homens.
12) A expectativa da igreja em relação ao Arrebatamento é perto está o
Senhor (Fp 4.5), enquanto a expectativa de Israel em relação à Revelação  é   o reino está próximo   (Mt 24.14).
13) A expectativa da igreja no Arrebatremento é ser levada à Presença
do Senhor, enquanto a expectativa de Israel na Revelação é ser
levado ao reino.

2.4              O ladrão leva somente coisas de valor
  • Nenhum ladrão entra  em uma casa,  e rouba, por exemplo, a lata de lixo.   Seu objetivo é levar somente o que tem valor, como:  dinheiros, jóias, carros, etc.
  • Jesus levará consigo o seu particular tesouro (Ml 3.17),  Sua Igreja que Ele comprou com seu próprio Sangue (At 20.28)(Ef 1.7)(1 Pe 1.18,19).  Somos seu povo peculiar (Tt 2.14)

2.5              O ladrão sempre deixa alguma coisa
  • O caráter seletivo se vê na doutrina do Arrebatamento (Mt 24.40-42).   Ele irá separar os que possuem azeite (a Presença do Espírito Santo) nas lâmpadas, dos que estão desprovidos dele (Mt 25.1-13).
Certa vez em um culto em Santa Catarina,  uma profecia foi ouvida durante um abençoado culto, causando grande despertamento espiritual nos crentes presentes,  onde o Senhor disse:
- Venho sem demora,  vou tirar os salvos do meio dos crentes.

2.6              Depois que o ladrão sai,  sente-se a falta do que foi levado
Elias é um tipo da Igreja arrebatada  (2 Rs 2.1-11)

  • Elias sabia que seria arrebatado – A Igreja que vai subir também sabe (Ap 22:20)
Sabemos que a Igreja será arrebatada porque a Palavra de Deus nos garante (1 Ts 4.16,17) (Jo 14.1-3)
Sabemos que a Igreja será arrebatada porque o Espírito Santo nos testifica (Ap 2.7;   22.17)
Sabemos que a Igreja será arrebatada porque os sinais  dizem  (Mt 24.3-13)

  • Elias foi separado de Eliseu quando foi arrebatado(2 Rs 2.11) – No dia do Arrebatamento haverá separação.        Assim nos declara Jesus em sua Palavra:   Digo-vos que naquela noite estarão dois numa cama;  um será tomado e o outro será deixado.     Duas estarão juntas, moendo;  uma será tomada, e outra será deixada.   Dois estarão no campo;  um será tomado, o outro será deixado (Lc 17.34-36)

  • Elias foi procurado porque sentiu-se a sua falta (2 Rs 2.16-18) -  A Igreja arrebatada,por certo, será procurada, mas não será encontrada;   pois, estará na Bodas do Cordeiro (Ap 19.7-9)


CONCLUSÃO:
Queridos irmãos,  vivamos hoje, como se Cristo voltasse hoje. 
Que sejamos vigilantes e sóbrios, olhando para cima porquanto a Redenção está próxima.     
Não permitamos que o descuido espiritual, os cuidados da vida e o pertinaz pecado;  nos impeçam de estarmos prontos para subir.   Mas que vivamos hoje, despertados e sendo frutíferos na Obra do Senhor.   Porque Ele virá e não tardará (Hb 10.37)(Ap 3.11;  22.7,12,20)

Pastor Marcos Antonio

domingo, 11 de dezembro de 2011

JESUS NOS ENSINA A LOUVAR


Marcos 14.26
26 – E, tendo cantado o hino, saíram para o monte das Oliveiras.

Palavra Introdutória:

Não é de causar admiração o fato de Jesus ter cantado durante aquela ceia pascal (Mc 14.26), pois todo judeu o fazia. O sublime é constatar o momento em que Ele abriu seus lábios para cantar;  foi um momento decisivo de aflição e renúncia.   
Em tempo de angústia e dor Jesus cantou.  Como bem dizia o querido e saudoso  pastor José Pimentel de Carvalho:  Jesus cantou `a sombra da Cruz.
No mundo temos aflições (Jo 16.33), mas o bom animo advindo do Senhor nos faz cantar, mesmo nas maiores provas e dificuldades(Sl 42.8).
A história da Igreja em todos esses séculos, sempre mostrou que, os mais belos hinos e poesias foram escritos em tribulação.

Conta-se que o grande reformador Martinho Lutero, quando refugiado no castelo de seu amigo, o príncipe da Saxonia,  convidava o seu companheiro Felipe Melancton:
- Enquanto o mundo todo está contra nós, cantemos Felipe, o Salmo 46.
E, da linda mensagem deste maravilhoso Salmo,  Lutero escreveu a letra do famoso Hino:  Castelo forte é o nosso Deus, espada e bom escudo.


1. CARACTERÍSTICAS DO LOUVOR DE JESUS NA AFLIÇÃO:

1.1  Foi um louvor para Deus

§        A palavra grega que aparece em Mateus 26.30 e Marcos 14.26, é a palavra himneo, que significa: cantar  hinos  ou cantar louvores.   É a mesma palavra que aparece em Atos 16.25, quando Paulo e Silas na prisão em Filipos, a despeito de grande aflição, oravam e cantavam a Deus.
§        O cenário evangélico, não só no Brasil, mas em todo o mundo, sobeja de farta música gospel.    O avanço de recursos fonográficos, a multiplicidade de grupos e cantores de todo o genero, dispõe diante de nossos ouvidos, música evangélica para todo gosto.  Um número expressivo das canções do mercado gospel, tem hoje, mais uma direção horizontal do que vertical.  Em outras palavras, se canta mais para o povo do que para Deus.   Deus está em busca de cantores e músicistas  que o tenham como  único objetivo, louvá-lo e adorá-lo (Sl 148.1-14).
§        Seja o nosso louvor dirigido unicamente a Deus.  O homem nada é, nada para o homem;  mas Ele tudo é,  então, tudo para Ele  (Is 6.2,3)(Ap 4.8-11)

1.2  Foi um louvor coletivo

Jesus não louvou a Deus sozinho, mas com seus amados discípulos. Aquela memorável ceia, cheia de plena graça e solenidade, foi marcada pelo mais lindo dos corais,  cujo regente e o cantor principal foi nosso amado Salvador Jesus.
O cantico da Salvação não é apenas entoado apenas em solo; mas também, em muitas vozes.
Depois da passagem do Mar Vermelho, Moisés não cantou sozinho - Então, cantou Moisés e os filhos de Israel...(Ex 15.1)
De igual modo a juíza Debora após a grande vitória sobre o rei Jabim de Canaã -  E cantou Débora e Baraque...(Jz 5.1)
O apóstolo Paulo na prisão em Filipos fez um precioso dueto com Silas - Perto da meia-noite, Paulo e Silas oravam e cantavam...(At 16.25)

Em que pese a difícil realidade vivida hoje no meio evangélico com respeito a cantores e grupos musicais, onde para alguns, a promoção pessoal e estrelismo é o supremo alvo; continuamos a crer, que ninguém canta melhor do que a Igreja do Senhor.     (Sl 150.1-6)
Outra lição que podemos tomar, é que devemos estimular outros, a louvarem conosco ao Senhor por suas maravilhas (Sl 100.1).  Quer seja em nosso lar, em nosso ambiente de trabalho, em nossa congregação.

1.3   Foi  um louvor na aflição
   
Jesus sabia que dentro de algumas horas, seria torturado e morto; mesmo assim louvou a Deus:
Sabia que sua morte estava próxima, mas louvou a Deus (Mt 26.30)
Sabia que Judas iria traí-lo, mas louvou a Deus (Mt 26.20,21). 
Alguns atrás, um  pastor há mais de 40 anos, disse-me:  Se existe algo que tira todas as nossas forças de louvar a Deus, é a dor de uma traição.  
Mas, Jesus louvou a Deus, mesmo sendo traído por um dos seus.
Sabia que seu corpo seria dilacerado e ferido, mas louvou a Deus (Mt 26.26-28).  
Ele tinha motivos para dizer aos seus:  Cantem, eu estarei apenas ouvindo...Não posso cantar agora, porque minha alma está triste...  Mas, ao contrário, Ele abriu seus lábios cumprindo o Salmo profético de seu sofrimento no Calvário, o Salmo 22.
Então, declararei o teu Nome aos meus irmãos, louvar-te-ei no meio da congregação. (Sl 22.22)
Se voce está passando por momentos difíceis e tormentosos, quando a força brutal da tribulação te faz ficar prostrado, confie no Senhor que não te desampara (Is 41.13), comece a louvá-lo com todo o teu coração (Sl 150.1-6), que o milagre chegará para voce.
Abraão experimentou a benção e a plena vitória, porque em meio a provação, decidiu louvar a Deus:   O qual, em esperança, creu contra a esperança que seria feito pai de muitas nações,  conforme o que lhe fora dito:  Assim será a tua descendencia.    E não enfraqueceeu na fé, nem atentou para o seu próprio corpo já amortecido  (pois era já de quase cem anos),  nem tampouco para o amortecimento do ventre de Sara.     E não duvidou da promessa de Deus por incredulidade,  mas foi fortificado na fé,  dando glória a Deus. (Rm 4.18-20)

2. JESUS CANTOU NA NOITE DA ANGÚSTIA

Jesus cantou quando tudo lhe era adverso: Sabia que seria traído e vendido por um dos seus, mas cantou.  Sabia que bateriam e cuspiriam em seu rosto.  Sabia que o azorrague na mão pesada do cruel carrasco, dilaceraria toda sua carne, mas cantou.   Sabia que uma coroa de espinhos rasgaria sua fronte, mas cantou.  Sabia que levaria sem forças e ofegante a pesada cruz até o Monte Calvário,  mas cantou.   Sabia que ali seria crucificado entre dois ladrões, mas cantou. 
Quem teria forças ou inspiração para cantar em um cenário semelhante ?   Mas,  Nosso querido Salvador,  na ceia pascal,  momentos antes de seguir para o Getsemani,  abriu os seus lábios, e louvou a Deus.
Querido(a) aluno(a), se voce está passando por momentos difíceis e por duras provas,  comece tão somente a louvar a Deus.   Pois, o louvor que sai da alma regado pelas lágrimas do sofrimento,  jamais fica sem resposta.

2.1  Jó cantou na noite da aflição e angústia

Como foi provado nosso irmão Jó, que comparou seu grande sofrimento à uma noite tão longa, que o nascer de um novo dia,  para ele estava tão distante. 
Jó 35.10  nos declara que Deus nos dá canções durante a noite:
Onde está Deus, que me fez ? Que dá salmos entre a noite ( Almeida Revista e Corrigida) 
Onde está Deus que me fez,  que inspira canções de louvor durante a noite ? (Almeida Revista e Atualizada)
Onde está Deus, o meu criador, que de noite faz surgirem canticos ? (Nova Versão Internacional)
Todos nós que seguimos a Cristo, passamos também pela tenebrosa noite das aflições neste mundo (Jo 16.33) , mas, é neste contexto que o Senhor coloca em nossos lábios, louvores ao Deus que nos faz triunfar sobre todas as adversidades (Rm 8.31-39)
Nosso Deus sempre nos inspira a cantar em meio a noite da aflição e da angústia.  Assim sucedeu com Jesus, que mesmo na moenda do sofrimento, abriu seus lábios, e entoou  um hino de louvor a Deus (Mc 14.26).
 Contudo, o Senhor mandará de dia a sua misericórdia, e de noite a sua canção estará comigo: a oração ao Deus da minha vida.(Sl 42.8)

As canções que Deus nos faz cantar durante a noite da aflição tem o seguinte perfil:
§        São cheias de adoração   E, então, Jó se levantou, e rasgou o seu manto, e rapou a sua cabeça, e se lançou em terra, e adorou,  e disse:  Nu saí do ventre de minha mãe e nu tornarei para lá;  o Senhor o deu e o Senhor o tomou;  bendito seja o nome do Senhor. (Jó 1.20,21)
§        São cheias de Fé   Ainda que Ele me mate, nEle esperarei (Jó 13.15)
§        São cheias de esperança   Porque eu sei que o meu  Redentor  vive, e que por fim se levantará sobre a terra.    E depois de consumida a minha pele,  ainda em minha carne verei a Deus (Jó 19.25,26)

2.2  Habacuque cantou na noite da escassez – Hc 3.17-19

Este cantico do profeta Habacuque, é um dos mais lindos da Bíblia, porque traduz a plena confiança em Deus a despeito da escassez e das provações da vida.

§        Primeiro porque revela a verdadeira Fé em Deus, a despeito de todas as contradições da vida e a falta de recursos básicos.  
Como Habacuque, o apóstolo Paulo servia a Deus de todo o coração, quer na abundancia, quer na escassez (Fp 4.11-13)(2 Co 6.10)
            A palavra ainda é muito significativa neste louvor do profeta Habacuque(Hc 3.17,18), porque esta palavra nos reporta para a seguinte verdade:  
            Que por maior que seja a prova que tenhamos que passar, que por mais difícil que seja a experiencia de perder tudo; ainda louvaremos a Deus, pois Ele tem tudo sob seu controle e cuida de nós.  
            ...ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; o produto da oliveira minta, e os campos não produzam mantimento; as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, e nos currais não haja vacas.   Todavia, eu me alegrarei no Senhor,  exultarei no Deus da minha salvação.

      Outros  aindas da Bíblia e suas lições:

§        O ainda da Fé verdadeira – Ainda que Ele me mate, nEle esperarei... (Jó 13.15)
§        O ainda da confiança inabalável  -  Pelo que não temeremos, ainda que a terra se mude, e ainda que os montes se transportem para o meio dos mares.    Ainda que as águas rujam e se perturbem, ainda que os montes se abalem pela sua braveza. (Sl 46.2,3)
§        O ainda da proteção de Deus – Ainda que um exército me cercasse, o meu coração não temeria;  ainda que a guerra se levantasse contra mim, nele confiaria.(Sl 27.3)
§        O ainda da Presença do Senhor – Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque Tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam.(Sl 23.4)
§        O ainda da misericórdia de Deus – Ainda que caia, não ficará prostrado, pois o Senhor o sustém com a sua mão. (Sl 37.24)

§        Segundo, porque este cantico é desafiador, porque confronta a qualidade de nosso cristianismo.   Será que podemos hoje diante das lutas e aflições, parafrasear Habacuque? Ainda que fique me falte o emprego e o pão, ainda que não tenha dinheiro no bolso, ainda que me falte o teto, ainda que fique doente e vá para a UTI, ainda que ninguém me ajude e me estendam a mão, ainda que a morte bata a porta de meu lar e leve um dos meus queridos, etc... Todavia, eu me alegrarei no Senhor e exultarei no Deus da minha Salvação.

2.3  Paulo e Silas cantaram na noite da dor  um louvor que fez a diferença – At 16.23-31

§        Fez a diferença porque foi entoado na aflição. 
 Atos 16.24, nos informa que Paulo e Silas foram jogados no cárcere interior (uma espécie de calabouço) e os pés presos no tronco; tudo isto, somado ao corpos, por certo, ensanguentados pelos açoites recebidos, que segundo descrição de Lucas, não foram poucos (At 16.22,23)

§        Fez a diferença porque teve a oração como base
Nos informa o evangelista Lucas, que Paulo e Silas oravam e cantavam (At 16.25).  Não diz o texto, que primeiro cantavam;  mas declara que primeiro oravam.      Nosso louvor a Deus é eficaz, quando tem como base, o firme fundamento da oração (1 Ts 5.17)
Esta recomendação bíblica é de suma importancia, principalmente para aqueles que ministram o louvor na Casa de Deus.  Que seu ministério de louvor esteja sempre fundado na base sólida da oração.

Os quatro animais e os vinte e quatro anciãos nos dão tres lições preciosas:
E, havendo tomado o livro, os quatro animais e os vinte e quatro anciãos prostraram-se diante do Cordeiro, tendo todos eles harpas e salvas de ouro cheias de incenso, que são as orações dos santos (Ap 5.8)
1ª.)  O louvor verdadeiro vem de um coração rendido totalmente ao Senhor - ...prostraram-se diante do Cordeiro...
2ª.)  Duas coisas essenciais para o adorador:   Harpa (O verdadeiro louvor) e salva de ouro(vida de oração) -  ... tendo todos eles harpas e salvas de ouro cheias de incenso, que são as orações dos santos.
3ª.) Não podemos nos apresentar diante do Senhor apenas com a harpa.   Quantos que estão cantando, sem salvas de ouro (sem vida de oração).   Entoam boa música, muitas vezes, com perfeita técnica e muito talento, mas vazios da unção de Deus.  Para tais cantores e músicos, o Senhor está dizendo:  Afasta de mim o estrépido dos teus canticos, porque não ouvirei as melodias dos teus instrumentos (Am 5.23)

Ira Sanckey, cantor que acompanhava o renomado evangelista americano Moody, em suas cruzadas de evangelismo;  antes de se apresentar para cantar, passava horas em oração, pedindo a Deus que o seu louvor  tocasse o coração dos pecadores.

§        Fez a diferença porque foi ouvido pelos presos que ali estavam (At 16.25)
Quanta gente escravizada sem Deus e sem esperança, anela em ouvir da Igreja do Deus Vivo – o cantico da Salvação (Sl 40.1-3).
Pesa uma grande responsabilidade sobre cantores e músicas, no que tange ao evangelizar através da mensagem cantada.  
Quantos testemunhos temos ouvido, de vidas que foram transformadas pelo poder do Evangelho, ao ouvirem um hino inspirado por Deus.

Daí a necessidade de cantarmos hinos, que tenham estas  tres características indispensáveis:
§        Unção (1 Sm 16.23)(2 Cr 5.13,14)
Por maior que seja a capacidade e a técnica musical de quem louva a Deus,  jamais estas coisas (que são importantes), substituirão a unção de Deus.   Pois, sem ela,  nosso louvor se torna mecanico e sem vida.
§        Simplicidade (Sl 136.1-26)
É de bom alvitre lembrar que os hinos mais amados pelo povo de Deus, são aqueles de letras simples e objetivas.   O Salmo 136, é um exemplo bíblico precioso.
§        Mensagem bíblica (Cl 3.16)
Hinos sem mensagem bíblica, não tocam corações e não transformam vidas.  Porque o poder está na Palavra (Rm 10.17)(Jr 23.29)(Hb 4.12)

§        Fez a diferença porque aquele louvor  atraiu a Presença de Deus (At 16.26)
Aquele louvor não ficou somente dentro daquele cárcere, mas subiu aos céus e tocou o coração de Deus. Em resposta, Deus manifestou  naquele calabouço a sua Glória e Poder, fazendo tremer os alicerces daquela prisão.
Se voce está vivenciando momentos difíceis de grande tribulação, comece a louvar a Deus, sem dúvida, Ele virá ao teu encontro, e te dará grande livramento.
No tempo do rei Salomão, quando a arca foi trazida para o santuário do Templo;  algo sobrenatural ocorreu, quando Asafe, Hemã, Jedutum, seus filhos e seus irmãos, começaram a entoar louvores ao Senhor.   Foi uma cena extraordinária,  pois estes abençoados levitas, estavam todos vestidos de linho fino, com címbalos, com alaúdes e com harpas.   Somando-se  a eles, vieram também louvar a Deus, mais cento e vinte sacerdotes com trombetas, címbalos e outros instrumentos musicais.  O louvor foi tão inspirado, que atraiu imediatamente a Presença de Deus.
Nos diz 2 Cronicas 5.13,14, que   ...a casa se encheu de uma nuvem, a saber, a Casa do Senhor;         e não podiam os sacerdotes ter-se em pé, para ministrar, por causa da nuvem,  porque a glória do Senhor encheu a Casa de Deus.
Queridos irmãos, que ao louvarmos a Deus, venhamos sempre a atrair a gloriosa Presença do Senhor.


§        Através do louvor a porta da Palavra se abriu  para o profeta Eliseu
Ora, pois, trazei-me um tangedor.  E, sucedeu que,  tangendo o tangedor, veio sobre ele a mão do Senhor.     E disse:   Assim diz o Senhor:   Fazei neste vale muitas covas.   Porque assim diz o Senhor:   Não vereis vento e não vereis chuva;  todavia,  este vale se encherá de tanta água, que bebereis vós e o vosso gado e os vossos animais.     E ainda isto é pouco aos olhos do Senhor;   também entregará ele os moabitas nas vossas mãos. (2 Rs 3.15-18) 
§         Através do louvor o espírito mau foi expulso do rei Saul
E sucedia que, quando o espírito mau da parte de Deus,   vinha sobre Saul,  Davi tomava a harpa e a tocava com a sua mão;   então,  Saul sentia alívio e se achava melhor, e o espírito mau se retirava dele.  (1 Sm 16.23)
Obs:  Concernente a expressão:  espírito mau da parte de Deus;  significa que o espírito mau vinha sobre Saul, permitido pelo Senhor.  Tudo porque, todas as coisas sob o absoluto controle de Deus, inclusive o diabo e todos os demonios.
§         Através do louvor Deus concedeu vitória a Judá nos dias do rei Josafá
E aconselhou-se com o povo e ordenou cantores para o Senhor,  que louvassem a majestade santa,  saindo diante dos armados e dizendo:  Louvai o Senhor,  porque a sua benignidade dura para sempre.      E, ao tempo em que começaram com júbilo e louvor,  o Senhor pos emboscadas contra os filhos de Amom e de Moabe e os da montanhas de Seir,  que vieram contra Judá e foram desbaratados.  (2 Cr 20.21,22)

3.  O HINO QUE JESUS CANTOU E SUAS LIÇÕES

3.1   O Contexto histórico

Por ocasião da celebração da Páscoa, uma série de Salmos eram entoados do Saltério de Israel – do Salmo 113 ao Salmo 118, o Hallel (Heb.  Louvor),   sendo que esta série de louvores eram cantados em duas partes:  A primeira: durante a celebração pascal, se cantava o Salmo 114 e o 118.   A segunda: os demais, O Salmo 113, 115, 116 e o 117  no encerramento da celebração.
Esta parte Jesus cantou com os seus discípulos, e em seguida, se dirige para o Jardim das Oliveiras, o Getsemani:   E, tendo cantado o hino, saíram para o monte das Oliveiras (Mc 14.26)

3.2  O que Jesus cantou e suas lições

Ao cantar o Salmo 113, exaltou o Deus infinitamente grande, que habita nas alturas e que com amor, do pó levanta o pequeno e do monturo ergue o necessitado.
Ao cantar o Salmo 114,  celebrou os milagres da passagem do Mar Vermelho e do Rio Jordão.
Ao cantar o Salmo 115, declarou que o Nosso Deus é o único Deus, e que os deuses feitos pelos homens nada podem fazer.
Ao cantar o Salmo 116, expressou seu profundo amor por Deus:  Amo ao Senhor (Sl 116.1),  publicando seu amor e gratidão pela sua gloriosa Salvação.
Ao cantar o Salmo 117, convida todos os povos da Terra para louvar ao Senhor, por sua benignidade e verdade que duram para sempre.
Ao cantar o Salmo 118, cantou de forma profética os resultados de seu sacrifício no Calvário:
§        A Porta da Salvação aberta – (Sl 118.20)   Esta é a porta do Senhor, pela qual os justos entrarão.  (Jo 10.7, 9)
§        Que a Pedra fundamental (Ele próprio) seria rejeitada – (Sl 118.22)  A pedra que os edificadores rejeitaram ...   (1 Pe 2.4, 6-8)
§        Que Ele seria o fundamento da Igreja – (Sl 118.22)   ...tornou-se cabeça de esquina. (Mt 16.18)
§        O Dia da Graça – (Sl 118.24)   Este é o dia que fez o Senhor, regozijemo-nos e alegremo-nos nele.  (2 Co 6.2)
§        Que seria preso e levado ao lugar de sacrifício – (Sl 118.27)  ...atai a vítima da festa com cordas e levai-a até aos angulos do altar.  (Jo 19.16,17)
3.3  O que nos ensina Jesus com seu louvor

§        Jesus nos ensina que na negra noite de aflição e dificuldades, o crente pode louvar a Deus.  Pois, Ele próprio, louvou a Deus na noite de seu vitupério e sofrimento.   Nenhum louvor é mais significativo do que este, o louvor a Deus na aflição(Sl 77.1)(Sl 120.1)(Sl 124.1-8)(Sl 121.1-8)(Sl 142.1-7).
§        Jesus nos ensina que o louvor a Deus tem o poder de nos fortalecer diante dos revezes da vida; lembremo-nos, que Abraão recebeu forças, porque decidiu louvar a Deus:   ...mas foi fortificado na Fé, dando glória a Deus (Rm 4.20)
Quem verdadeiramente louva a Deus, recebe o fortalecimento de Deus em sua Fé.   A debilidade espiritual dá lugar ao vigor espiritual.
Caro(a) aluno(a), Deus deseja renovar tuas forças a cada dia através de uma vida de adoração e louvor.

Deus nos fortalece:
1ª.) Quando nos alimentamos de sua Palavra - A minha alma consome-se de tristeza, fortalece-me segundo a tua Palavra (Sl 119.28)
2ª.) Quando somos cheios do seu poder -  Fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder (Ef 6.10)
3ª.) Quando a Graça de Cristo está em nósTu, pois, meu filho, fortifica-te na Graça que há em Cristo Jesus (2 Tm 2.1)
4ª.) Quando esperamos no SenhorMas os que esperam no Senhor renovarão as suas forças e subirão com asas como águias;  correrão e não se cansarão;  caminharão e não se fatigarão (Is 40.31)
5ª.) Quando louvamos o seu nome - ...mas foi fortificado na Fé, dando glória a Deus (Rm 4.20)

§        Jesus nos ensina que o louvor a Deus precede a Vitória
Jesus foi ao cenário da dor, sangue e lágrimas com a alma de um adorador. Entrou louvando a Deus na arena de seus algoses cruéis.   Na ceia pascoal, cantou (Mc 14.26)
Já estando crucificado, citou o Salmo 22, o Salmo do Calvário,  para tres dias após, celebrar a vitória da Ressurreição.
Não nos esqueçamos de passarmos a provação, dando glória a Deus;  porque o louvor a Deus precede sempre as grandes vitórias de Deus para nossas vidas.
Tomemos o exemplo do rei Josafá que desfrutou de portentosa vitória de Deus, obedeceu a Deus, colocando a frente do exército os cantores e musicistas louvando a Deus (2 Cr 20.1-30)
Sigamos a recomendação do Salmo 149.6, para estarmos de posse  das duas armas indispensaveis para o bom soldado de Cristo ter vitória: O Louvor  e a Palavra de Deus: Estejam na sua garganta os altos louvores de Deus e espada de dois fios, nas suas mãos.
Conclusão:
Assim como em noite escura, mais brilham as estrelas;  nas noites mais escuras que atravessamos muitas vezes, Deus está conosco com seu cuidado, amor e proteção.   Seu doce Espírito nas horas mais amargas, nos traz à nossa alma hinos de louvor a Deus.
Que a mensagem  de hoje, nos desperte para  as extraordinárias bençãos advindas do poder do louvor,  como:  atrair a Presença de Deus,  fortalecimento de nossa Fé e vitória sobre o inimigo.

Pastor Marcos Antonio