sábado, 22 de junho de 2019

O MINISTÉRIO DAS LÁGRIMAS


Pastor Marcos Antonio

Salmo 56.8

“Tu contaste as minhas vagueações: Põe as minhas lágrimas no teu odre: Não estão elas no teu livro?”   (A.R.C.)
“Registra, Tu mesmo, o meu lamento; recolhe as minhas lágrimas em teu odre; acaso não estão anotadas no teu Livro?”  (N.V.I.)


Introdução:

ü A grande verdade universal sobre as nossas lágrimas, está exatamente na origem delas.  Desde que o pecado entrou no mundo, todo ser humano derrama lágrimas desde seu nascimento.

ü Alguém já disse: Que nascemos chorando, choramos durante a existência e findamos a existência com lágrimas.

ü Pergunte a um bioquímico, o que é uma lágrima? E ele responderá: 
A lágrima é composta de água, sais minerais, proteínas e gordura, onde 98% dela é constituída pela água sendo o restante material sólido como o cloreto de sódio, enzimas como a lisozima, lipídios e complexos imunológicos.

ü Mas, o que vemos além da química? Vemos uma mãe que chora...Um filho que chora...Um enfermo que chora...Uma família que chora diante da aflição e das perdas da vida...Vemos corações partidos que sangram...

ü Nesta oportunidade, aprouve a Deus nos falar algumas verdades sobre nossas lágrimas. Por certo, esta Palavra não te trará somente edificação, mas, terno consolo em teu sofrimento.

ü E vamos aprender a primeira verdade sobre as lágrimas, partindo de nosso texto: Salmo 56.8


1. NOSSAS LÁGRIMAS SÃO CONTADAS E REGISTRADAS POR DEUS – Sl 56.8

Põe as minhas lágrimas no teu odre: Não estão elas no teu livro?”   (A.R.C.)

ü Contadas no odre de Deus e registradas no Livro de Deus... Este Livro, é o Memorial de Deus, que está continuamente diante dEle no Céu...                               Malaquias 3.16, declara:Então aqueles que temem ao Senhor falam cada um ao seu companheiro; e o Senhor atenta e ouve; e há um Memorial escrito diante dEle, para os que temem ao Senhor, e para os que se lembram do seu Nome.”

ü Que extraordinário saber que Deus conta cada lágrima que choramos...

ü A palavra “ODRE” neste texto Hebraico, fala de um pequeno pote, que na Antiguidade eram chamados de “lacrimários”, que eram usados para se prantear mortos. A pessoa chorava e ia guardando naquele recipiente, e depois depositava junto ao túmulo do falecido(a).

ü Davi neste Salmo está chorando, suas lágrimas estão caindo, mas, ele sabe que nenhuma se perde.

ü Ilustração: Deus em uma mão ele tem um lacrimário...Na outra mão um Livro...

ü Que significa Deus contar e registrar cada lágrima que derramamos?

1º.) Que Deus está perto
2º.) Que Deus se importa com tua dor
3º.) Que Deus se comove
4º.) Que nenhuma lágrima se perde, Ele leva cada uma em conta
5º.) Que cada lágrima é importante
6º.) Que Deus dará uma resposta às tuas lágrimas


2. NOSSAS LÁGRIMAS DARÃO LUGAR À ALEGRIA

A Bíblia diz que por maior que seja o nosso choro, ele tem um tempo de duração (não dura pra sempre)

Salmo 30.5 – Declara que o “Choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã”

Que notícia maravilhosa: “Teu choro...que parece não terminar...tem prazo de validade.”

Ilustração: Os discípulos passaram uma noite de profunda tristeza e decepção – Jo 21.3      Mas, graças a Deus pelo versículo seguinte – Jo 21.4

Você que está chorando sem parar. Esta noite de lágrimas está findando, a manhã da vitória está raiando, Jesus está vindo pela praia ao teu encontro!

Ilustração: Lucas 7 – Temos o relato de uma família marcada pela tragédia, pelo sofrimento, pela dor e pela morte...  Jesus só foi a Naim por causa daquelas lágrimas...Jesus só foi a Naim para transformar aquelas lágrimas em alegria... (narrar).

Sempre me refiro ao testemunho da querida irmã russa do Casaquistão, durante nossa Missão em Kaiserlautern, Alemanha. Quando a Mão do Senhor enxugou suas lágrimas.


3. NOSSAS LÁGRIMAS DERRAMADAS NA TERRA, TEM IMPACTO NO CÉU

 Como entender este grande mistério do ministério das lágrimas?  Como nossas lágrimas sinceras comovem a Deus e os Céus?

Agar e seu filhinho Ismael são despedidos da casa de Abraão, e saem errantes pelo deserto... Gn 21.14-19
14 - Na manhã seguinte, Abraão pegou alguns pães e uma vasilha de couro cheia d’água, entregou-os a Hagar e, tendo-os colocado nos ombros dela, despediu-a com o menino. Ela se pôs a caminho e ficou vagando pelo deserto de Berseba.
15 - Quando acabou a água da vasilha, ela deixou o menino debaixo de um arbusto
16 - E foi sentar-se perto dali, à distância de um tiro de flecha, porque pensou: “Não posso ver o menino morrer”. Sentada ali perto, começou a chorar.
17 - Deus ouviu o choro do menino, e o anjo de Deus, do céu, chamou Hagar e lhe disse: “O que a aflige, Hagar? Não tenha medo; Deus ouviu o menino chorar, lá onde você o deixou.
18 - Levante o menino e tome-o pela mão, porque dele farei um grande povo”.
19 - Então Deus lhe abriu os olhos, e ela viu uma fonte. Foi até lá, encheu de água a vasilha e deu de beber ao menino.

ü As lágrimas que derramamos na Terra, tem impacto no Céu...Deus se move pelo nosso choro!

ü Tempo do profeta Isaías. O Rei era Ezequias                       

Is 38.1-5Lágrimas que comoveram a Deus!

ü Mc 9.14-27 – Temos o relado de um pai aflito e desesperado por seu filho se encontrava endemoniado.  As lágrimas daquele aflito pai comoveram Jesus...

ü As lágrimas que derramamos na Terra, tem impacto no Céu.

ü

sexta-feira, 22 de março de 2019

PENTECOSTALISMO (MOVIMENTO PENTECOSTAL)


Pastor Marcos Antonio

    
I - Sua Origem

II - Sua História através dos tempos

III - Seus Fundamentos (Verdades Pentecostais)


INTRODUÇÃO

ü  O Pentecostalismo ou Movimento Pentecostal é considerado por muitos estudiosos o fenômeno mais revolucionário da história do cristianismo no século 20, e certamente um dos mais marcantes de toda a História da Igreja.

ü  O Dicionário Aurélio diz que o Pentecostalismo é uma Crença religiosa baseada em atributos espirituais referidos no Novo Testamento, como, por exemplo, falar línguas desconhecidas; Pentecostismo.

ü  O Dicionário de Língua Portuguesa Michaelis define o Pentecostalismo como um movimento de renovação entre os protestantes que se iniciou no começo do século XX, cujos seguidores defendem o que chamam de Batismo no Espírito Santo, evidenciado pelos dons do espírito: o poder de curar, profetizar e falar línguas estranhas; Pentecostismo

ü  A Wikipedia define o Pentecostalismo como um movimento de renovação de dentro do Cristianismo que dá ênfase especial  a uma experiência direta e pessoal de Deus através do Batismo no Espírito Santo.

ü  O que a Bíblia tem a dizer sobre o Pentecostalismo como um movimento do Espírito de Deus?  Observaremos durante este estudo, o que as Escrituras Sagradas (destacando o Livro de Atos dos Apóstolos declara a respeito)..

ü  Neste estudo consideraremos o Pentecostalismo em três aspectos: Sua origem, Seu impacto e influência através dos tempos e seus fundamentos bíblicos (Verdades Pentecostais).



I.            A ORIGEM DO PENTECOSTALISMO

Convém observarmos primeiramente o termo “Pentecostes”:

·         “Pentecostes” é um vocábulo grego e significa “quinquagésimo”. Festa judaica que ocorria cinquenta dias após a Páscoa.

·         No antigo calendário israelita estão relacionadas três festas (Ex 23.14-17; 34.18-23): a primeira é a Páscoa, celebrada junto à dos ázimos ou asmos; a segunda é a Festa das Colheitas ou Semanas que, a partir do domínio Grego, recebeu o nome de Pentecostes; finalmente, a festa dos Tabernáculos ou Cabanas. As duas primeiras celebrações foram adotadas pelo cristianismo, porém, a terceira foi relegada ao esquecimento.

·         No Antigo Testamento, a liturgia mais desenvolvida dessa festa encontra-se em Lv 23.15-21. Porém, Dt 16.9-15 mostra uma outra liturgia que reflete um diferente período e, consequentemente, um novo ambiente de celebração.

·         Pentecostes não é o nome próprio da segunda festa do antigo calendário bíblico, no Antigo Testamento (Ex 23.14-17; 34.18-23).

·         Originalmente, essa festa é referida com vários nomes:

1º.) Festa da Colheita ou Sega - no hebraico hag haqasir. Por se tratar de uma colheita de grãos, trigo e cevada, essa festa ganhou esse segundo nome. Provavelmente, hag haqasir Festa da Colheita é o nome original (Ex 23.16).
   
2º.) Festa das Semanas - no hebraico, hag xabu´ot.
A razão desse nome está no período de duração dessa celebração: sete semanas. O início da festa se dá, cinqüenta dias depois da Páscoa, com a colheita da cevada; o encerramento acontece com a colheita do trigo (Dt 34.22; Nm 28.26; Dt 16.10).

3º.) Festa das Primícias dos Frutos - no hebraico yom habikurim.
Este nome tem sua razão de ser na entrega de uma oferta voluntária, a Deus, dos primeiros frutos da terra colhidos naquela sega (Nm 28.26).

Provavelmente, a oferta das primícias acontecia em cada uma das três tradicionais festas do antigo calendário bíblico.
Na primeira, Páscoa, entregava-se uma ovelha nascida naquele ano; na segunda, Colheita ou Semanas, entregava-se uma porção dos primeiros grãos colhidos; e, finalmente, na terceira festa, Tabernáculos ou Cabanas, o povo oferecia os primeiros frutos da colheita de frutas, como uva, tâmara e figo, especialmente.




4º.) Festa de Pentecostes.
As razões deste novo nome são várias:
Nos últimos trezentos anos do período do Antigo Testamento, os gregos assumiram o controle do mundo, impondo sua Língua, que se tornou muito popular entre os judeus.
Os nomes hebraicos:  hag haqasir e hag xabu´ot  foram perdendo seu uso e foram substituídos pela denominação Pentecostes, cujo significado é cinqüenta dias depois (da Páscoa). Como o Império Grego assumiu o controle do mundo, em 331 anos antes de Jesus, é provável que o nome Pentecoste ganhou popularidade a partir desse período. E nos dias de Atos dos Apóstolos, a festa era assim denominada.


Um olhar profético sobre “Pentecóstes”

·         Como já observamos, Pentecostes significa "qüinquagésimo", poi se refere a uma festa realizada cinqüenta dias depois da Festa das Primícias (Lv 23:15-22).

·         O calendário das celebrações de Israel em Levítico 23 é um esboço do ministério de Jesus Cristo:

1º.) A Páscoa retrata sua morte como Cordeiro de Deus - Jo1:29; 1 Co 5:7.

2º.) A Festa das Primícias representa sua ressurreição
dentre os mortos - 1 Co 15:20-23.

3º.) A Festa de Pentecóstes,  retrata de forma profética também, a formação da Igreja.

·         Em Pentecostes, os judeus comemoravam a entrega da
Lei, mas os cristãos comemoram a dádiva do Espírito Santo à Igreja.

·         A Festa das Primícias era celebrada no dia seguinte ao shabbath após da Páscoa, ou seja, sempre no primeiro dia da semana (o shabbath o sétimo dia). Jesus ressuscitou no primeiro dia da semana e se tornou "as primícias dos que dormem" (1 Co 15:20). Uma vez que Pentecostes era comemorado cinqüenta dias depois - sete semanas e mais um dia -, então também era observado no primeiro dia da semana.

·         Até hoje a Igreja cristã tem o domingo como o Dia do Senhor, o primeiro dia da semana, porque nesse dia o Senhor ressuscitou e, também, nesse dia a Igreja recebeu o Espírito Santo.


·         O Pentecostalismo ou Movimento Pentecostal tem sua origem, na ação sobrenatural do Espírito Santo no dia de Pentecóste, segundo o relato de Lucas em Atos 2.



2. PENTECOSTALISMO, SUA HISTÓRIA ATRAVÉS DOS TEMPOS


·         No período apostólico, vemos uma Igreja avivada e cheia do Espírito Santo, operando nos Dons espirituais e se multiplicando na Terra, conforme lemos no Livro de Atos dos Apóstolos.

·         O mais notório movimento carismático do cristianismo antigo foi o Montanismo, surgido na Frígia, Ásia Menor, na parte posterior do 2° século (década de 170). Seu fundador, Montano, que fez a alegação de ser o porta-voz do Espírito Santo e que profetizava a Volta de Cristo e a descida da Nova Jerusalém.

·         No Século 16, há registros de um grande avivamento na Europa entre os Anabatistas.

·         No Século 17, foi marcante o Pentecostalismo pelos Quakers ingleses

·         No Século 18, um grande avivamento irrompeu a Europa através do ministério dos irmãos Wesley: John e Charles. E não podemos esquecer de Suzana Wesley, mulher de oração, mãe destes dois ícones do Metodismo.

·         No Século 20, temos um número expressivo de registros históricos, de como foi o Pentecostalismo ou Movimento Pentecostal:

- Charles Parhan e o avivamento em uma casa de pedra. Tudo começa quando ele aluga uma mansão de pedra, em Topeka, Arkansas, Estados Unidos em outubro de 1900.

- Willian J. Seymour e um dos maiores avivamentos da História da Igreja: O avivamento da Rua Azuza, em Los Angeles, Califórnia, Estados Unidos.

- O Avivamento da Rua Azuza, foi a sólida base para o sugimento das Assembléias de Deus; no Brasil, Estados Unidos e em todo mundo.

- O Avivamento da Rua Azuza e os pioneiros da Obra Pentecostal no Brasil: Gunnar Vingren e Daniel Berg

- O Avivamento da Rua Azuza e o pastor metodista norueguês Thomas Ball Barrat.

- Aimee Semple Macpherson e a Igreja do Evangelho Quadrangular, resultado de um grande avivamento nos Estados Unidos de 1920 a 1930.

- Willian Branham, que tornou-se fervoroso pregador aos 24 anos. Impactado pelo Batismo no Espírito Santo, foi usado por Deus em campanhas de Salvação e milagres na década de 1940.

- T.L. Osborn, contemporâneo de Willian Branham, foi também instrumento de Deus nesta onda de avivamento, com sinais e maravilhas.

- Oral Roberts, de igual modo, foi um grande pregador avivalista. Deus o usou, a partir de 1947, poderosamente em campanhas de Salvação e cura divina.

- Gordon Lindsay, nos anos 40 e 50, também foi usado por Deus com os Dons de Curar e operação de maravilhas.

- Nestas duas décadas (1940 e 1950), convém destacar grandes focos de avivamento nas Ilhas Hébridas, na Escócia, e outro na Coréia, onde mais de 4 mil crentes se reuniam todos os dias em oração todas as madrugadas.

- Billy Graham, seu chamado e ministério de evangelista mundial.

- David Wilkerson e o mover do Espírito entre os jovens na década de 1970 em Nova York, Estados Unidos.

- Nas décadas de 1970 a 2000, outros nomes se destacaram na história do Pentecostalismo no Brasil e no mundo.

3. PENTECOSTALISMO E SEUS FUNDAMENTOS
  
 VERDADES PENTECOSTAIS:


·         A VERDADE DA PESSOA DO ESPÍRITO SANTO

Temos o Espírito Santo, enviado por Jesus para estar na Igreja, dirigindo-a, capacintando-a, batizando-a com poder do alto para testemunhar Cristo ao mundo perdido, abstecendo-a com seus maravilhosos dons – Jo 14.16,17, 26;  16.13-15; At 2.1-4; 1 Co 12.1-11


·         A VERDADE DO BATISMO NO ESPÍRITO SANTO

O que não é Batismo no Espírito Santo?
- Não é o Batismo do Espírito Santo – 1 Co 12.13
- Não é Salvação, mas é benção da Salvação. 
- Não é o Novo Nascimento, mas é poder de Deus para os que nasceram de novo. 
- Não é salvo conduto para o Céu, mas é unção para quem está indo para o Céu.
- Não é antídoto contra o pecado, mas, é poder de Deus para vencer o pecado.
- Não é credencial de invencibilidade contra o diabo e seus demônios, mas é poder eficaz – Lc 10.19

O que é o Batismo no Espírito Santo?
- É a Promessa do Pai – At 1.4
- É o derramamento do Espírito Santo – Notai como o verbo “derramar” fala do Batismo no Espírito Santo:
Pv 1.23; Is 44.3; Zc 12.10; At 2.14-18
- É o revestimento de poder de Deus – Lc 24.49..Is 61.10 (na Salvação: vestido; no Batismo no E.Santo: revestido).
- É a Virtude do Espírito Santo (dunamys) – At 1.8






SETE LIÇÕES SOBRE O BATISMO NO ESPÍRITO SANTO:


1ª.) O BATISMO NO ESPÍRITO SANTO É PARA QUEM CRÊ NA PALAVRA DE DEUS – Jo 7.38

    Sl 119.89, 160; Jo 17.17; Is 55.11; Jr 1.12; Hb 6.18; Nm 23.19

    E, o que a Palavra de Deus tem a nos dizer sobre esta gloriosa Benção: O Batismo no Espírito Santo ?

    Pv 1.23 – Você acredita  nesta profecia?

    Is 44.3 – Você crê nesta promessa?

    Jl 2.28,29 – Você crê nesta Palavra?

    Mt 3.11 – Você abraça para você esta Profecia?

    At 1.5 – Você acredita firmemente no que Jesus disse sobre ser Batizado no Espírito Santo?

    At 1.8 – Você deseja esta virtude do Espírito Santo e crê que esta Unção é para você?

    At 2.17,18 – Você crê que estamos nos últimos dias, e que O Senhor derramará do seu Espírito sobre nós?

    At 2.39 – Você crê nesta Palavra profética?


2º.) O BATISMO NO ESPÍRITO SANTO É PARA QUEM BUSCA EM ORAÇÃO

    Para quem é o Batismo no Espírito Santo?

É para quem deseja – Jo 7.37
É para quem crê – Jo 7.38
É para quem pede – Lc 11.5-13;  At 1.12-14




3º.) O BATISMO NO ESPÍRITO SANTO É PARA QUEM PRIORIZA A COMUNHÃO COM OS  IRMÃOS

Atos 2.1  E cumprindo-se o dia de Pentecóstes, estavam todos (desunidos???), reunidos no mesmo lugar.

    Dentre as revelações sublimes que este texto revela; ele nos revela nitidamente o retrato da Igreja. Pois, a comunhão em união e unidade é o que caracteriza: Igreja...

    Você já ouviu falar em um número crescente de desigrejados? Quem são eles?

    Mas, Igreja é idéia de Deus, é um projeto de Deus. Igreja nasceu no coração de Deus – Vejamos o que a Bíblia diz:

- At 2.41  De sorte que foram batizados os que de bom grado receberam a sua Palavra; e, naquele dia, agregaram-se quase três mil almas.”

- At 2.42  “E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações.

- At 2.43  “E em toda alma havia temor, e muitas maravilhas e sinais se faziam pelos apóstolos.

- At 2.44  “E todos os que criam estavam juntos e tinham tudo em comum.”

- At 2.46  “E, perseverando unânimes todos os dias no templo e partindo o pão em casa, comiam juntos com alegria e singeleza de coração,”

- At 2.47  Louvando a Deus e caindo na graça do povo.  E, todos os dias acrescentava o Senhor à Igreja aqueles que se haviam de salvar.”

- Salmo 133.1-3 – O Salmo que traduz com perfeição o termo Igreja.



4.   O BATISMO NO ESPÍRITO SANTO NÃO DEPENDE DO HOMEM, MAS DE DEUS

Atos 2.2  “E, de repente...”

    “E, de repente...” - Esta expressão coloca por terra, toda e qualquer manipulação de massa por parte de “falsos avivalistas”.

    “E, de repente...” – Esta expressão fala que nosso Deus age no tempo dele (Kairos) e não no nosso tempo (Kronus).

    “E, de repente...” – Esta expressão deixa bem claro que ser cheio do Espírito Santo é uma ação direta de Deus e não do homem, revelando que Deus é quem promove avivamento (At 10.44-48) (At 19.1-7)

    “E, de repente...” – Esta expressão fala de como nosso Deus gosta de surpreender. Toda coisa repentina traz o impacto da surpresa, do surpreendente.   Deus irá te surpreender...



5º.) O BATISMO NO ESPÍRITO SANTO É UMA BENÇÃO DO CÉU

Atos 2.2  “E, de repente, veio do Céu um som...”

    Quando você ouvir falar de avivamento, procure à luz da Bíblia saber a procedência... De onde vem...E, isto pelo discernimento espiritual... Porque muitos são enganados...Pensam que é avivamento, mas não passa de mera manipulação e emocionalismo...

    Existem três fontes de inspiração:

1ª.) A humana – Onde o homem age tão somente

2ª.) A maligna – Onde o diabo se infiltra e tenta enganar – 2 Co 11.14

3ª.) A Divina – Quando Deus é a fonte, a procedência – 1 Co 12.7

    Atos 2.1 – Deixa clarividente que os discípulos ouviram um som...não de baixo, não das ruas de Jerusalém, não da casa do vizinho, não da terra...Mas, do Céu  (Isto é significativo)

    Tiago 1.17 – diz que a Benção para nós vem do Céu.

    João Batista disse em João 3.27, que  “O homem não pode receber coisa alguma, se não lhe for dada do Céu.”

    Paulo, afirmou esta mesma verdade em 2 Coríntios 3.5  “Não que sejamos capazes por nós, de pensar alguma coisa, como de nós mesmos; mas a nossa capacidade vem de Deus.”

    E, mais ainda o Apóstolo Paulo exorta-nos a não tirar os olhos do Céu, e buscar as bênçãos do Céu:
Colossenses 3.1,2  “Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus.
Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra...”

    Que linda a promessa de Isaías 32.15  “Até que se derrame sobre nós o Espírito lá do alto...




6º.) O BATISMO NO ESPÍRITO SANTO VEM COMO VENTO QUE SOPRA

Atos 2.2  “E, de repente, veio do Céu um som, como de um vento veemente e impetuoso, e encheu toda a casa em que estavam assentados.”

    O vento é o ar em movimento – O Espírito Santo se move

    O vento é vida (puro oxigênio) – O Espírito Santo é Espírito de Vida – Rm 8.2

    O vento não tem cor – O Espírito Santo não discrimina, não tem favoritismo, quer renovar a todos.

    O vento é livre, ninguém pode manipulá-lo, domina-lo
– Jesus disse em João 3.8  “O vento sopra onde quer...”

    O vento é gerador de força e energia.    
Hoje se fala muito em energia “eólica” gerada pela força do vento.

- Que será da Igreja se o Espírito Santo não soprar ?

    Encontramos na Bíblia Deus soprando por três vezes: 
- O sôpro do Pai (Gn 2.7)
- O sôpro do Filho (Jo 20.22)
- O sôpro do Espírito (At 2.2)



7º.) O BATISMO NO ESPÍRITO SANTO VEM COMO FOGO

Atos 2.3  “E foram vistas por eles línguas repartidas como que de fogo, as quais pousaram sobre cada um deles.”

    A experiência vivida pelos discípulos na Cenáculo naquele dia, foi o cumprimento da profecia dita por João Batista – Mt 3.11

    Todas as vezes que a Bíblia relaciona a palavra “fogo” ao ímpio; sempre significa juízo...
Mas, todas as vezes que a Palavra relaciona “fogo” ao povo de Deus, sempre fala de proteção, de vitória e renovação!

    Até no Livro do Apocalipse, no Céu o Espírito de Deus é representado diante do trono de Jesus, por 7 tochas de fogo – Ap 4.5


    Virtudes singulares do fogo:

1ª.) O fogo aquece – O Espírito Santo nos traz fervor espiritual

2ª.) O fogo derrete – O Espírito converte o mais duro coração

3ª.) O fogo ilumina – O Espírito é quem traz clareza ao nosso entendimento e ilumina os nossos passos na verdade

4ª.) O fogo purifica – O Espírito tem como sobrenome: Santo.  É ele que nos limpa, nos purifica, nos santifica para uma vida santa.





















O PENTECOSTALISMO E OS DONS ESPIRITUAIS


O que são Dons do Espírito Santo?
Dons,  a própria palavra diz: São dádivas.  
charisma (singular) – charismata (plural), termos que derivam diretamente de charis (graça)

Quantos Dons do Espírito existem ?
R= Não são apenas  9 (como aparece em 1 Corintios 12:1-11), pois em Romanos 12:6-8 , temos uma outra lista de Dons do Espírito.

O que é mais importante, o FRUTO DO ESPÍRITO (Gálatas 5:22) ou OS DONS DO ESPÍRITO (1 Co 12:1-11) ?
Sem dúvida, o Fruto do Espírito deve preceder os Dons.
 Observemos que Jesus não disse que seremos conhecidos como seus discípululos, por causa dos DONS, mas pelos frutos – Mateus 7:20


Segundo 1 Coríntios 12:1-11, quais são os Dons Espirituais e como se classificam ?

1ª.) DONS DE REVELAÇÃO – Palavra do Conhecimento,  Palavra de Sabedoria e Discernimento de espíritos.

2ª.) DONS DE PODER – Dons de Curar, Operação de maravilhas e Dom da Fé.

3ª.) DONS DE INSPIRAÇÃO VERBAL – Dom de variedade de Línguas, Dom de Interpretar as línguas  e   Dom de Profecia.


Os Dons do Espírito Santo pertencem a pessoa que é usada por Deus ?
Não,  Deus não concede Dons a pessoas; Deus dá Dons a Igreja.

A pessoa em quem Deus manifesta algum Dom do Espírito, pode o usar a hora que quiser ?
1 Coríntios 12:7,  nos diz que “a manifestação do Espírito, é dada a cada um para o que for útil.”   
Deus é Soberano e faz como quer – Atos 2:2, tem uma expressão chave e significativa: ‘DE REPENTE’ – revelando, que nenhum homem detém este poder, mas, sim o Senhor.

Qual é o propósito dos Dons do Espírito Santo ?
Glorificar a Deus e equipar a Igreja para a Obra da Evangelização.

E sobre o dom de profecia ? Existem profetas hoje como os do Antigo Testamento ?
No mesmo patamar dos profetas do Antigo Testamento, não existem profetas. Porque segundo lemos em Mateus 11:13, Jesus afirmou: “Porque todos os profetas e a Lei profetizaram até João”
Hoje temos pessoas em quem Deus manifesta o Dom de profecia e o Dom ministerial  de profeta, segundo Efésios 4:11,12.


Qual o propósito do Dom de Profecia ?
Segundo lemos em 1 Coríntios 14:3,   22-25 -  são quatro os propósitos do Dom de Profecia:
1º.) Edificação – 1 Co 14:3
2º.) Exortação – 1 Co 14:3
3º.) Consolação – 1 Co 14:3
4º.) Sinal para os descrentes – 1 Co 14:22-25


Está o Dom de Profecia acima da Bíblia Sagrada ?
Nenhum Dom do Espírito e nem mesmo o Dom de Profecia tem mais autoridade divina do que a Palavra de Deus (Salmo 119:89) (Mateus 24:35)


Tem o Dom de Profecia a função de dirigir o crente para este tomar decisões ?
Não!    Como já observamos,  o Dom de Profecia restringe-se aqueles propósitos já mencionados.   

O Dom de profecia não tem por finalidade expor e constranger pessoas?
Se o crente recebe uma mensagem de exortação para um crente, deve chamá-lo em particular e não expô-lo publicamente.
Lembremo-nos do que diz  1 Coríntios 14:32   “E, os espíritos dos profetas são sujeitos aos profetas”
Quando Daví pecou, o profeta Natã ao receber a revelação do que Daví – Não o expos publicamente, mas foi ter com ele, e lhe falou particularmente – 2 Sm 12:1



Que tipo de “ignorância” existe com relação aos DONS DO ESPÍRITO SANTO?
Paulo fala em 1 Co 12:1, que não queria que os crentes em Corinto, fossem ignorantes acerca dos Dons Espirituais.      
Existem 3 (dois) tipos de ignorância:

1ª.) Ignorar por não conhecer os Dons Espirituais – 1 Co 2:14

2ª.) Ignorar mesmo conhecendo, ignorar por negligência – (quantos crentes que por negligencia, já não buscam mais os Dons) – 1 Co 14:1

3ª.) Ignorar o ensino bíblico sobre o uso dos Dons – (foi o que ocorreu com os crentes de Corinto. Eles tinham abundancia de Dons – 1 Co 1:7.
Mas o que faltava, era serem ensinados a respeito do uso dos Dons.  
Por isso o apóstolo Paulo ensina-os a respeito, dedicando praticamente dois capítulos da Primeira Carta aos Coríntios para ensiná-los sobre o correto uso dos DONS DO ESPÍRITO SANTO  (1 Co 12 e 1 Co 14)



Destacamos o comentário do pastor e teólogo pastor Elienai Cabral sobre como o apóstolo Paulo tratou a doutrina dos Dons Espirituais:
Quando Paulo escreveu aos Coríntios:
 “Não quero, irmãos, que sejais ignorantes acerca dos dons espirituais” (1 Co 12.1), procurou corrigir excessos da prática dos dons na igreja.
Os capítulos 11 a 14, Paulo trata de regulamentações para a liturgia da igreja que, a despeito, da abundância de dons, havia distorções doutrinárias que precisavam ser corrigidas.

Quando Paulo exorta-os dizendo: Não quero irmãos, que sejais ignorantes acerca dos dons espirituais (1 Co 12.1); ele não está exortando aos coríntios no  sentido de que eles estavam desprezando os dons. Mas, referia-se a serem ignorantes quanto ao fato de não terem conhecimento bíblico para melhor utilização destes dons, para a edificação do Corpo.
Observemos que não havia falta de Dons espirituais na Igreja em Corinto:
De maneira que nenhum dom vos falta...(1 Co 1.7)

A ignorância acerca dos Dons Espirituais e a prática dos mesmos, existia em função de certa presunção de espiritualidade que os Coríntios exibiam, quando, na verdade, havia, também, muita carnalidade no exercício desses dons.
A falta de fundamentação bíblica  sempre produz  desvios, fanatismo e misticismo em muitas igrejas.
Portanto, é de vital importância entender que:
• Os dons são perfeitos, mas os que os usam são imperfeitos;
• O uso dos dons está sujeito a abusos se não houver ensino sobre os mesmos;
• A continuidade dos dons na vida da igreja é indispensável para o seu crescimento equilibrado e maduro;
• Podemos incorrer nos dois tipos de ignorância: A ignorância que traduz desprezo pelos Dons espirituais e a ignorância por falta de embasamento bíblico sobre os Dons.
• Devemos buscar os Dons espirituais, e usá-los com sabedoria; para que o nome do Senhor seja glorificado e o Corpo de Cristo edificado.


Verdades sobre os Dons do Espírito nos ensinos de Paulo:

1ª.) Os Dons não são dons naturais
Ele refere-se a dádivas vindas de Deus pelo seu Espírito.
Paulo usa os termos gregos: Charisma(singular) e Charismata(plural):
A tradução para o português  é graça, favor, benevolência, dádiva, donativo, presente ;
Dons naturais são capacidades inatas, enquanto Dons espirituais são provenientes de Deus, capacitando sua Igreja de forma sobrenatural.
Os dons naturais (talentos, ou dotes) são inerentes a personalidade de cada pessoa, enquanto que os “Dons espirituais” procedem de Deus, e não de nós.

2ª.) Os Dons Espirituais não são atestados pessoais de Santidade
É um erro gravíssimo, quando alguém porque “possui” algum espiritual, julga-se mais santo que todos. Além de revelar soberba; os dons espirituais não blindam ninguém do pecado e de suas consequências. Nunca devemos usar os Dons espirituais como termômetro para medirmos o grau de espiritualidade e santidade de alguém.
Se os Dons fossem um atestado de santidade, ninguém seria mais santo que os Coríntios. Mas, aquela igreja, apesar de possuir todos os dons (1 Co 1.7); cometia graves pecados, e Paulo os exortou a respeito: (1 Co 3.3,4)(1 Co 5.1,2)(1 Co 6.1-11).

3º.) Os Dons Espirituais visam edificar a Igreja e não promover o indivíduo
Mas a manifestação do Espírito é dada a cada um, para o que for útil (1 Co 12.7).
Jamais o Espírito de Deus manifestará seu poder para promoção pessoal de alguém. Jesus disse, a respeito de seu Espírito:
Ele me glorificará, porque há de receber do que é meu, e vo-lo há de anunciar (Jo 16.14)



4ª.) Os Dons espirituais não são dados ao indivíduo, mas, dados à Igreja
Deus manifesta seus Dons em pessoas, mas, os dá para sua Igreja.
É de suma importância entendermos esta verdade; porque muitos julgam que o dom espiritual lhe pertence.

5ª.) Os Dons Espirituais não são mais importantes que o Fruto do Espírito
Paulo recebeu a revelação de que o Fruto (Gl 5.22) deve preceder os Dons.
Jesus ensinou, que cada um é conhecido pelos frutos e não pelos dons:
Portanto, pelos frutos os conhecereis (Mt 7.20)

Ao doutrinar a Igreja, coloca o amor ágape, como o fator fundamental e que proporciona crescimento e equilíbrio: Notemos que em dois capítulos da Primeira Carta aos Coríntios, ele trata dos Dons Espirituais (sua natureza e seu uso correto): Capítulos 12 e 14. No entanto, entre estes dois capítulos, Paulo destaca o sublime Fruto do Espírito – o Amor (1 Co 13).

O saudoso pastor José Pimentel de Carvalho, disse certa vez:
Não temos uma maior profusão dos Dons do Espírito, porque o amor tem esfriado em nossos corações.

              
UM PARALELO ENTRE DONS E FRUTO -1 Co 12.1-11; Gl 5.22

Os Dons são dados, são recebidos       
O Fruto é gerado pelo Espírito em nós

Os Dons vem de fora para dentro          
O Fruto vem de dentro para fora

Os Dons são completos, são plenos     
O Fruto cresce e desenvolve-se

Os Dons revela quem Deus é     
O Fruto revela quem somos nós

Os Dons são diversos: “Ora há diversidade de dons...(1 Co 12.4)  
O Fruto é apenas um. Notemos o termo fruto no singular:
 “O fruto do Espírito é...”(Gl 5.22)

Os Dons concede poder espiritual         
O Fruto concede maturidade espiritual



Os Dons relacionam-se com o que fazemos (Carisma)        
O Fruto relaciona-se com o que somos (Caráter)



Conclusão:

Desejo de todo coração que este estudo sobre as Verdades Pentecostais, tenha edificado tua vida espiritual.
Minha oração é que esta ministração venha levar você para o Cenáculo do Pentecóstes, para experimentar uma vida cheia do Espírito Santo.

Pastor Marcos Antonio









O MINISTÉRIO DAS LÁGRIMAS

Pastor Marcos Antonio Salmo 56.8 “Tu contaste as minhas vagueações: Põe as minhas lágrimas no teu odre: Não estão elas no teu li...