terça-feira, 1 de outubro de 2013

A TEOLOGIA DA TRIBULAÇÃO NA VISÃO DE PAULO



  Filipenses 1.12-14

COMO PAULO NÃO VIA O SOFRIMENTO E A TRIBULAÇÃO:


Paulo não via o sofrimento, a tribulação como obra do acaso                – At 20.22,23    “E agora, eis que ligado eu pelo Espírito, vou para Jerusalém, não sabendo o que lá me há de acontecer.   Senão, o que o Espírito Santo, de cidade em cidade me revela, dizendo que me esperam prisões e tribulações.”
- Paulo nunca disse:  Eu Paulo, preso do rei Herodes...Eu, Paulo preso de Cesar... – Mas, em suas Cartas:  Eu, Paulo preso do Senhor...

Paulo não via o sofrimento e a tribulação como castigo de Deus – At 9.15

- A teologia falsa da prosperidade e da confissão positiva diz que quando o crente sofre – é porque está em pecado e debaixo de juízo.

Paulo não via o sofrimento e a tribulação com desânimo e repulsa , mas com alegria.                                                                             

– 2 Co 6.10   “Como contristados, mas sempre alegres; como pobres mas, enriquecendo a muitos;  como nada tendo e possuindo tudo.”
- Rm 5.3   “Nos gloriamos nas tribulações...”

- Lembrando ainda, que Paulo não era seguidor do masoquismo – Ele nunca foi masoquista:                                         Masoquista é a pessoa que gosta de sentir dor. Gosta de se machucar

COMO PAULO VIA O SOFRIMENTO E A TRIBULAÇÃO:

PAULO VIA A TRIBULAÇÃO COMO COOPERADORA DO EVANGELHO

 
Fp 1.12   “E, quero irmãos, que saibais que as coisas que me aconteceram, contribuíram para maior proveito do Evangelho.”

Você sabe o que é um bandeirante...Você sabe o que é um mateiro... – Naqueles dias no Império Romano, era aquele que ia na frente do Exército abrindo a mata, fazendo estradas, abrindo o caminho.

Esta é a ideia do texto de Filipenses 1.12 -  Porque o verbo no grego contribuir – fala destes mateiros.    Paulo, está dizendo que seu sofrimento, suas aflições foram verdadeiros mateiros...abrindo caminhos para a expansão do Evangelho.

Exemplos na vida de Paulo, de como o sofrimento abriu portas para o avanço do Evangelho.
- Da prisão em Roma saíram boa parte da Doutrina da Igreja – Da prisão em Roma Paulo escreveu as Cartas: Filemom, Efésios, Colossenses e Filipenses.
- Na prisão em Filipos Paulo ganha para Jesus:  O carcereiro e sua família....e a cidade de Filipos – porque através de dor e aflição, a Igreja em Filipos nasceu.
- Na prisão...Paulo ganha um prisioneiro fugitivo: Onésimo
- Na prisão em Roma, ele evangeliza e ganha soldados da tropa de elite do imperador – a Guarda Pretoriana....e também gente foi salva no Palácio do imperador Nero                           – Fp 4.22  “Todos os santos vos saúdam, mas principalmente os da Casa de César.”
- Ilustração – (O missionário – o fazendeiro mau – e o general: ....ele é meu amigo...)

 PAULO VIA A TRIBULAÇÃO COMO GERADORA DE FORTALEZA


Você poderá refutar dizendo:  “Oh...vida...oh...céus...”(Hardy) – e acreditando que a tribulação não gera nada de bom...Só desgraça e derrota...    Mas, Paulo não via assim.

Você sabia que a tribulação produz:(A Bíblia diz...)
1º.) A tribulação produz paciência – Rm 5.3
- Paciência aqui é perseverança
- A tribulação deixa sólida a tua fé – Acrisola (crisol vem de crise)
- Ninguém produz paciência, perseverança na sombra e na água fresca...
- A tribulação gera anticorpos espirituais em nós (Ilustração: Como são produzidos os anticorpos...)
- Você já percebeu que os crentes mais maduros na fé, são aqueles que passaram pela fornalha da aflição.  São mais maduros...sabem  que Deus trabalha por ele....pode não entender...Mas, sabe – que Deus sabe – Rm 8.28  (esquecemos sempre a palavra chave do versículo e sempre o citamos de forma incompleta)...........  "Sabemos" é a palavra chave.  

                 
2º.) A tribulação produz um peso de excelente glória – 2 Co 4.17   “Porque a nossa leve e momentânea tribulação, produz para nós um peso eterno de glória mui excelente.”

PAULO VIA A TRIBULAÇÃO COMO A ANTE SALA DO CÉU

 
At 14.22   “Confirmando os ânimos dos discípulos, e exortando-os a permanecer na fé, pois que por muitas tribulações nos importa entrar no Reino dos Céus.” 
Lc 24.26   “Porventura não convinha que o Cristo padecesse  e entrasse na sua Glória.

O Apóstolo Paulo nunca separou a tribulação, o padecimento da glória no Céu -   2 Tm 2.11,12    “Palavra fiel é esta:  Que se morrermos com Ele,  também com Ele viveremos.   Se sofrermos, também com Ele reinaremos...”

Para o apóstolo Paulo, a tribulação sinalizava para ele o Céu de glória:

2 Co 4.8,9   “Em tudo somos atribulados, mas não angustiados:  perplexos, mas não desanimados.   Perseguidos, mas não desamparados;   abatidos, mas não destruídos”

2 Co 11.23-28     “São ministros de Cristo...(falo fora de mim)  eu ainda mais:   em trabalhos, muito mais;  em açoites, muito mais do que eles;  em prisões, muito mais;  em perigo de morte muitas vezes.               Recebí dos judeus cinco quarentenas de açoites menos um.                       Três vezes fui açoitado com varas, uma vez fui apedrejado,  três vezes sofri naufrágio,  uma noite e um dia passei no abismo.                               Em viagens muitas vezes, em perigos de rios,  em perigo de salteadores, em perigo dos de minha nação,   em perigo dos gentios,  em perigos na cidade,  em perigos no deserto,  em perigos no mar,  em perigos entre os falsos irmãos;                                                                                  Em trabalhos e fadiga,  em vigílias muitas vezes,  em fome e sede,  em jejum muitas vezes,  em frio e nudez.                                              Além das coisas exteriores, me oprime cada dia o cuidado de todas as igrejas.”

Os últimos momentos de sua vida foram na prisão insalubre de Roma – onde Paulo experimentou o ápice da dor -  Mas, Paulo sabia que a tribulação que sofria era a ANTE SALA DO CÉU – 2 Timóteo 4....nos informa:

Que dores Paulo sentiu antes de partir para a glória...

1ª.) Paulo sofreu a dor da solidão – 2 Tm 4.9,11,21

2ª.) Paulo sofreu a dor do abandono – 2 Tm 4.10

3ª.) Paulo sofreu a dor da perseguição – 2 Tm 4.14

4ª.) Paulo sofreu a dor da ingratidão – 2 Tm 4.16

5ª.) Paulo sofreu a dor da resistência – 2 Tm 4.15

6ª.) Paulo sofreu a dor da privação – 2 Tm 4.13

Na hora que ele mais precisava de um ombro amigo, foi abandonado e esquecido naquela prisão.
As prisões romanas eram frias, escuras e insalubres. Os prisioneiros morriam de lepra e de outras doença.

Mas, todas estas dores e aflições – colocavam o velho e querido Apóstolo – na Ante Sala do Céu....   Caminhando em direção ao martírio onde seria decapitado pelo imperador Nero...ele vai dizendo: 
- “O Senhor me livrará de toda obra maligna, guardar-me-á para seu reino celestial, a quem seja glória para todo o sempre.” (2 Tm 4.18) 
- “Porque já estou sendo oferecido por aspersão de sacrifício, e o tempo de minha partida está próximo.   Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé.   Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo Juiz me dará naquele dia; e não somente a mim,  mas também a todos que amarem a sua vinda.” (2 Tm 4.6-8)

Não desanimemos diante da tribulação – O Céu é logo ali...Findarão nossas lutas no Arrebatamento, sejamos firmes e constantes!


Pastor Marcos Antonio
(mensagem pregada na Assembléia de Deus Ágape em 29 de setembro de 2013)

Nenhum comentário: