sexta-feira, 7 de maio de 2010

A AMARGURA DO EGITO E A DOÇÚRA DE CANAÃ


















Ex 1:14 “Assim lhes fizeram AMARGAR A VIDA com dura servidão...”

Ex 3:8 “Portanto descí para livrá-los das mãos dos egipcios, e para faze-lo subir daquela terra, a uma terra boa e larga, a uma terra que mana leite e MEL...”

Estes dois textos nos reporta para duas realidades: a amargura do Egito e a doçura de Canaã.

Quando pensamos em cativeiro, escravidão, logo vem ‘a nossa mente um ambiente opressor, tirano e plenamente amargo.
Quando a Bíblia fala do cativeiro no Egito, fala que seu mandatário amargou a vida dos israelitas com dura servidão. Faraó foi o agente de amarguras, foi o responsável de tornar infelizes o coração da semente de Abraão.

Em livros, palestras, pregações e nas classes de escolas dominicais, temos desde há muito ouvido de forma coerente, que satanás é o Farao´de nossos dias, e que o Egito representa este mundo pecador, que escraviza, que oprime todo aquele que o serve como escravo.

Sem sombra de dúvidas, cada um de nós que fomos alcançados pela Graça do Senhor, a despeito de quais foram as circunstancias de nossa conversão – temos o mesmo histórico no que se refere a nossa vida passada: A amargura de alma... Dissociados da verdadeira alegria, choramingávamos o peso do fardo de transgressões e a dor de um coração sem Deus. Éramos infelizes.

O Senhor ao olhar dos altos céus, o padecer de seu povo em grande aflição, viu o quanto Faraó tinha amargado a vida dos filhos de Israel.
De igual modo, o Senhor nos viu outrora no cativeiro do pecado – quando satanás havia amargado nossa vida com dira servidão.

Quando o Senhor nota a forma como o rei do Egito amargava a vida de Israel – Deus já tinha a solução. Em Ex 3:8, Ele dá a resposta – como que dizendo: “Se Faraó amargou a vida de meu povo – Eu agora vou adoçar... Vou tirá-los da amargura do Egito para a doçúra de Canaã, vou levá-los a uma terra que mana leite e MEL”

Sim, esta é a história da Salvação – libertos da amargura do mundo para viver a doçúra do Senhor.

Pr. Marcos Antonio

Nenhum comentário: